Jornal do Brasil

Sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

Rio

Vítima das chuvas pede minuto de silêncio à Seleção 

Portal Terra

O motorista desempregado Flavio Antônio Carreiros da Silva, de 35 anos, chegou cedo à Granja Comary nesta quinta-feira. Com a camisa amarela e o rosto sujo de barro ele tenta chamar a atenção para o descaso com as vítimas das chuvas que deixaram mais de 900 mortos na região serrana em janeiro de 2011.

Flávio, que perdeu 20 pessoas da sua família e teve a casa levada pela enxurrada, se mantém até hoje com os R$ 500 que recebe de aluguel social do governo do estado.

"Quero que o mesmo carinho que a autoridade teve com a seleção, tenha com a gente. No dia da estreia vai fazer três anos e cinco meses. O minimo é um minuto de silêncio no jogo de abertura", diz.

Flávio pintou o rosto e pediu um minuto de silêncio
Flávio pintou o rosto e pediu um minuto de silêncio

A Seleção deixou a Granja Comary pontualmente às 15h rumo a São Paulo onde enfrenta a Sérvia em um amistoso no estádio do Morumbi nesta sexta-feira. Apesar dos gritos da torcida que esperava os jogadores na saída do centro se treinamento, o ônibus não se deteve. Pela janela era possível ver parte do time descansando e ouvindo música.

Tags: desabrigado, enxurrada, região, Rio, serrana

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.