Jornal do Brasil

Quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

Rio

Campanha busca conscientizar cariocas e turistas sobre tráfico de pessoas

Agência Brasil

A Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos lançou hoje (5), aos pés do Cristo Redentor, na zona sul da cidade, uma campanha para conscientizar cariocas e turistas, durante a Copa do Mundo, sobre o tráfico de pessoas. A iniciativa consiste em colocar, em praças públicas, uma imensa caixa com mensagens sobre esse tipo de crime.

Por fora, a caixa é colorida e tem frases incentivadoras como “Conheça o mundo e ganhe um bom dinheiro” ou “Enfrente um novo desafio e ganhe experiência” - geralmente usadas por traficantes para estimular pessoas a aceitarem uma falsa oportunidade de trabalho.

Quando a porta da caixa se abre, no entanto, o que se vê são relatos de pessoas que foram vítimas de tráfico, como as meninas Jéssica, de 12 anos, e Raquel, de 13 anos, moradoras de uma pequena cidade do interior do Nordeste. Elas foram drogadas e levadas a Fortaleza onde foram exploradas sexualmente. Ou o caso de 12 jovens entre 14 e 16 anos do Pará que, levados pelo sonho de se tornarem astros do futebol, acabaram em Santos (SP), vivendo em um cubículo, sem assistência à saúde ou educação.

“Essa campanha é importante devido ao grande fluxo de pessoas no país, durante a Copa. É uma questão transnacional, que não acontece apenas no Brasil. Acontece na África e Europa. O primeiro passo para acabar com o tráfico é a educação. Se as pessoas tiverem consciência de que isso existe, podem ter mais discernimento na hora de fazer  suas escolhas”, disse o subsecretário estadual de Direitos Humanos, Raimundo Neto.

A caixa ficará inicialmente na Praça São Judas Tadeu, no Cosme Velho, bem ao lado da estação do trenzinho que leva ao Corcovado. Em seguida, a caixa será levada à Vila Mimosa, zona de exploração na zona norte do Rio, e para as igrejas da Penha, na zona norte, e Nossa Senhora da Paz, na zona sul. 

Tags: copa do mundo, Direitos Humanos, prostituição, Rio de Janeiro, tráfico humano

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.