Jornal do Brasil

Domingo, 21 de Dezembro de 2014

Rio

Um adeus que não foi dado - hoje seria aniversário de Amarildo

Ajudante de pedreiro completaria 44 anos. E a pergunta não quer calar: onde está Amarildo?

Jornal do BrasilDavison Coutinho *

O caso Amarildo ficou conhecido internacionalmente após seu desaparecimento em 14 de julho de 2013, depois de uma abordagem policial por militares da UPP Rocinha. No próximo mês completa-se um ano de seu desaparecimento  e até hoje não se tem informações sobre a localização de seu corpo.

Sua mulher, filhos, irmãos e familiares continuam vivendo no vazio deixado por Amarildo. Tal acontecimento não seria possível se tivéssemos uma política de segurança eficaz e verdadeira. Estamos vivendo um momento em que está virando rotina a morte de pobres, favelados e negros nas favelas de nossa cidade.

Em sua pagina na rede social, uma sobrinha de Amarildo, Michele Lacerda, faz o desabafo: "É realmente muito doloroso ficar remoendo um adeus que não foi dado, um parabéns que não foi cantado... Hoje, estaríamos comemorando os 44 anos do meu estimado tio Amarildo, mas graças à UPP, estamos tristes em uma data que seria tão comemorativa. Mas devo blindar a ignorância (ou estratégia)  de um governo que marginaliza os moradores de favela, sequestra, tortura e extermina o povo..."

Amarildo desapareceu há um ano
Amarildo desapareceu há um ano

Até quando será permitido que o velho preconceito de que todo favelado é marginal continue tirando a vida de tantos pais e filhos.  É preciso repensar o papel da segurança nas comunidades, é necessário que se pense em investimentos na educação de todas essas crianças para que o problema seja resolvido no foco, para que as pessoas tenham todas as oportunidades e não tenham na violência uma trajetória de vida.

Parabéns Amarildo, seu nome e sua vida se tornaram um grande símbolo na luta contra a morte dos moradores da favela.

*Davison Coutinho, 24 anos, morador da Rocinha desde o nascimento. Bacharel em desenho industrial pela PUC-Rio, Mestrando em Design pela PUC-Rio, membro da comissão de moradores da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu, professor, escritor, designer e liderança comunitária na Comunidade, funcionário da PUC-Rio

Tags: amarildo, Coutinho, davison, morte, rocinha

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.