Jornal do Brasil

Sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

Rio

Operação Camisa 10 do Procon-RJ fiscaliza comércio na Tijuca

Agência Brasil

O Procon-RJ fiscalizou hoje (2) 31 estabelecimentos e serviços no entorno de uma das ruas mais famosas do Rio de Janeiro em época de Copa do Mundo: a Rua Alzira Brandão, na Tijuca, zona norte do Rio. Conhecida como Alzirão, a rua reúne a cada Copa milhares de torcedores para acompanhar os jogos da seleção brasileira. A fiscalização faz parte da Operação Camisa 10 do órgão, que visa a proteger o consumidor e tem foco em estabelecimentos e serviços nos locais beneficiados com a Copa. De acordo com o diretor de Fiscalização do Procon-RJ, Fábio Domingos, restaurantes, padarias, salão de beleza e casas de material de construção foram fiscalizados pelos agentes. Alguns estabelecimentos foram autuados, e contra eles serão lavradas multas que podem ir de R$ 480 a R$ 7 milhões.

"Nós estamos aproveitando para fazer toda a fiscalização aqui na região do Alzirão. Nem todos os estabelecimentos apresentaram irregularidades, mas encontramos, em alguns, produtos impróprios para o consumo sendo servidos; outros, com produtos vencidos ou sem etiquetação; além de estabelecimentos que não apresentavam os preços das mercadorias e também foram autuados. Em alguns casos orientamos para que se colocassem o número do Procon, que é 151, e é uma obrigação ter. As leis determinam também que tenha o Código de Defesa do Consumidor [afixado] para auxiliar quem queira fazer uma ligação e tenha ali o número do Procon", disse.

Ao todo, 12 estabelecimentos foram autuados e serão multados. Foram descartados 44 quilos de alimentos e 130 litros de chope impróprios para o consumo. As irregularidades mais encontradas pelos fiscais durante a operação foram alimentos vencidos e ausência de preço nos produtos.

O Procon autuou a Pizzaria Ravelle, na Tijuca, onde os fiscais encontraram encontraram chope e cortes de maminha vencidos, além de pequenas quantidades impróprias de pepperoni, filé de anchova e  molho de camarão sem especificação. A Agência Brasil entrou em contato por telefone com a Pizzaria Ravelle, na Rua Conde de Bonfim, 41, Tijuca, e o sócio da casa, Paulo César, informou que vai tomar todas as providências e recorrer da multa.

"Nós recebemos o chope da Brahma na quinta-feira, e o certo era chegar com cinco dias de validade para vencer, e está chegando com dois ou três dias de validade. Nós ligamos para a Ambev [Companhia de Bebidas das Américas] para pedir a troca do chope, e eu mostrei a nota aos fiscais do Procon. Nós separamos uma carne para troca. A embalagem estava fechada, mas como nós temos que manter o produto na geladeira, colocamos um papel, dizendo que era para troca, mas esse papel acabou molhando e saindo. Vamos explicar essas coisas quando formos recorrer da multa", explicou o sócio.

 

Tags: ação, bares, fiscais, Norte, procon, Zona

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.