Jornal do Brasil

Domingo, 21 de Dezembro de 2014

Rio

MP vai investigar ação de PMs da UPP da Rocinha que levaram corpo da comunidade

PMs podem ter cometido crime por alterar a cena do crime. Confronto aconteceu no sábado

Jornal do Brasil

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPE-RJ) confirmou nesta segunda-feira (2/6) que vai investigar a ação dos policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, na Zona Sul da cidade, envolvidos em mais um episódio violento na comunidade, no último sábado (31). Um vídeo feito pelos próprios PMs e divulgado pela imprensa mostra os policiais comemorando a morte de um suposto traficante, identificado como Josiel Rafael Silva, de 43 anos, e retirando o corpo da vítima do local do crime. O fato aconteceu antes da perícia chegar ao local. Os constantes tiroteios é mais uma prova que a comunidade está longe de ter encontrado a pacificação, apesar de ter uma UPP instalada desde 2012.

>> Rocinha: PMs teriam removido homem baleado sem aguardar perícia

Em nota, a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) afirmou nesta segunda que os policiais envolvidos na ocorrência serão ouvidos em um procedimento aberto pelo órgão para apurar as circunstancias da morte de Josiel Rafael Silva. Após um fim de semana marcado por troca de tiros entre traficantes e policiais, a Rocinha teve uma madrugada tranquila nesta segunda (2), mas o policiamento continua reforçado na região. 

No sábado, um intenso tiroteio terminou com a morte de Josiel e mais duas pessoas ficaram feridas, Jeffersson de Oliveira, de 20 anos e Iolanda Soares Ferreira da Silva, de 42, encaminhados para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, na Zona Sul. No domingo, os moradores relatavam nas redes sociais uma queima de fogos e tiros ainda eram ouvidos. As postagens comentavam que as ações eram em homenagem a Josiel, mais conhecido como Mica. 

Comunidade da Rocinha passou por um fim de semana com intensos tiroteios, morte e feridos
Comunidade da Rocinha passou por um fim de semana com intensos tiroteios, morte e feridos

A Secretaria de Segurança afirmou em nota que os policiais socorreram a vítima por não poderem constatar se o homem estava vivo. A Coordenadoria de Polícia Pacificadora também afirmou que a vítima foi levada ainda com vida para o Hospital Municipal Miguel Couto. No entanto, a Secretaria Municipal de Saúde afirma que a vítima nunca deu entrada na unidade, porque já havia chegado morto, com um tiro nas costas.

As imagens gravadas pelos PMs logo após o confronto revela uma discussão entre os policiais da UPP, que estavam indecisos do que fazer com o corpo. Um grupo defendia a retirada somente depois da chegada de peritos da Polícia Civil, outro pedia a presença de um superior no local. Um PM chegou a questionar se a ordem para a retirada realmente foi dada "pela major". A UPP da Rocinha é comandada pela major Priscilla Azevedo.

Josiel Rafael seria irmão do traficante Joca, que está preso. A Coordenadoria de Polícia Pacificadora informou que uma submetralhadora calibre 9mm foi encontrada com o suspeito. Uma mulher foi detida ao tentar retirar a arma apreendida das mãos dos militares. O caso foi registrado na 14ª DP (Leblon).

Tags: pacificadora, perícia, polícia, rocinha, segurança

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.