Jornal do Brasil

Terça-feira, 2 de Setembro de 2014

Rio

Acidente em obra do metrô do Rio deixa um morto e um ferido

Jornal do Brasil

Uma pessoa morreu e outra ficou ferida em um acidente ocorrido na manhã desta sexta-feira nas obras da Linha 4 do metrô do Rio. O Consórcio Linha 4 informou que as causas do acidente estão sendo investigadas e que o funcionário da equipe de manutenção, Abraão Gonçalves de Almeida, de 44 anos, chegou a ser levado para o Hospital São Lucas, mas não resistiu. O operário ferido, Rafael Carvalho Ferreira, de 30 anos, sofreu escoriações leves.

A perícia foi chamada ao local, na entrada do canteiro de obras da Rua Barata Ribeiro, esquina com a Rua Djalma Ulrich.

O caso foi registrado na 13ª DP. O delegado Gilberto Ribeiro informou que o acidente ocorreu depois que um duto de ar-condicionado se rompeu provocando um deslocamento dos dois funcionários em um túnel de manutenção das obras de expansão do metrô. Ainda de acordo com o delegado, os funcionários afirmaram que o duto havia acabado de passar por uma manutenção e que as causas ainda estão sendo investigadas.

Nota do Consórcio:

"O Consórcio Linha 4 Sul lamenta informar que, por volta das 10h desta sexta-feira, um operário da equipe de manutenção de redes de utilidade interna da obra sofreu um acidente na frente de serviço da Rua Gastão Baiana, em Copacabana. O operário foi prontamente atendido e transferido para o Hospital São Lucas, onde chegou com vida, vindo a falecer por volta das 10h50. Neste momento, o Consórcio Linha 4 Sul está prestando apoio e solidariedade à família do integrante. Outro operário sofreu escoriações no corpo, sem risco à vida.As causas do acidente estão sendo apuradas."

Ipanema: crateras provocadas por obra do metrô serão alvo de inquérito

A abertura de duas crateras nas obras do metrô de Ipanema, no dia 11 deste mês, será alvo de um inquérito, instaurado pela delegada Monique Vidal, titular da 14ª DP (Leblon). Os buracos foram abertos na Rua Barão da Torre, durante obras de escavação da Linha 4. Possível exposição ao perigo da vida, da integridade física e do patrimônio dos moradores da área serão investigados. Neste sábado (31), moradores da região vão fazer uma manifestação para pedir às autoridades mais segurança nas escavações, mediante o anúncio de que o "tatuzão" vai operar em obra da Linha 4 do metrô em até 60 dias.  

Pelas redes sociais, movimento convoca moradores para protesto no sábado
Pelas redes sociais, movimento convoca moradores para protesto no sábado

Os laudos da Defesa Civil serão requisitados e o engenheiro responsável pela obras será ouvido pela Polícia Civil, assim como os moradores prejudicados pelo problema. O Consórcio Linha 4 Sul, formado pelas construtoras Odebrecht Infraestrutura, Carioca Engenharia e Queiroz Galvão informou que está à disposição das autoridades. 

>> Deputado pede audiência para avaliar crateras nas obras do metrô em Ipanema

>> Defesa Civil e consórcio vão apresentar plano de emergência após cratera

>> Moradores de Ipanema pretendem entrar com ação contra empreiteiras da Linha 4

Além do inquérito instaurado pela delegacia do Leblon, um grupo de moradores dos bairros do Leblon e Ipanema, liderados pelo movimento "Projeto Segurança de Ipanema" (Psi Ipanema), entraram essa semana com uma representação no Ministério Público do Estado (MPE), que deve abrir uma Ação Civil Pública para investigar as denúncias sobre a forma de como as obras do metrô estão sendo executadas na região. "Em outros países essa técnica de escavação já foi abolida, depois de comprovada a sua periculosidade para a população. Sabemos como ela [metodologia de escavação] é arriscada e eles [agentes das empreiteiras] falarem que as rachaduras nas áreas de fundação dos prédios ao redor da cratera não tem haver com as obras é demais. Esse concreto que eles estão colocando agora pode se soltar novamente e a qualquer momento. Esse acidente de agora tivemos a sorte de acontecer de madrugada. Já pensou isso acontecer de manhã?", comentou a presidente do  "Projeto Segurança de Ipanema", Ignez Barreto.

Nascida e criada na Zona Sul do Rio e moradora há 30 anos em Ipanema, Ignez disse que o movimento popular liderado por ela incorporou a questão das crateras como prioridade nas pautas de reivindicações para a região. "Os moradores estão preocupados com essa situação causada pelas obras da Linha 4.", destacou. Pelas redes sociais, o Psi Ipanema está convocando a população para participar de um protesto que vai acontecer nesse sábado, a partir das 11h, com saída da Praça General Osório, em Ipanema. "Durante essa semana muitos moradores dos dois bairros [Ipanema e Leblon] colocaram nas janelas faixas com mensagens contra a obra. Agora vamos para as ruas.", disse Ignez, contabilizando que mais de 200 pessoas já confirmaram presença no ato. 

 

Tags: escavação, morte, Operário, Rio, Transportes

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.