Jornal do Brasil

Quinta-feira, 24 de Julho de 2014

Rio

Teresópolis espera 100 mil visitantes durante presença da seleção

Agência Brasil

A presença da Seleção Brasileira de Futebol, a partir desta segunda-feira (26), vai mudar durante algumas semanas a rotina de Teresópolis, na região serrana do Rio. O município de 150 mil habitantes, muitos deles espalhados pela área rural, deverá receber 100 mil visitantes durante o período em que os jogadores e a comissão técnica estiverem treinando na Granja Comary, onde ficam as instalações da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Para o secretário municipal de Turismo, Ronaldo Fialho, a chegada da seleção representará um momento de virada na história recente da cidade, que ainda hoje se recupera do desastre natural de janeiro de 2011, que deixou mais de 900 mortos em toda a região serrana e praticamente apagou do mapa alguns bairros do município. “A Copa do Mundo é um divisor de águas para nós. O otimismo começa a brotar novamente. Eu sinto no teresopolitano a volta do orgulho, da autoestima. O povo está novamente orgulhoso de sua cidade”, disse Fialho.

Segundo ele, a rede hoteleira está com 93% dos leitos reservados para o período em que a seleção estará na cidade. São 58 hotéis e pousadas, que oferecem 4.700 vagas. “A rede hoteleira está muito satisfeita, com lotação plena. É um fluxo muito grande de turistas chegando à cidade. Teresópolis é a casa da seleção e não é de agora. Desde 1966, o time já se concentrava no Hotel Pinheiros. O fato de a Copa ser aqui representa mais visitantes, oxigena a economia, é um dinheiro novo que entra. Todos se beneficiam, a gastronomia, a hotelaria e o comércio”, comemorou o secretário.

Nas ruas, já é possível perceber o reflexo do turismo verde-amarelo. Mesmo antes da chegada da delegação, visitantes fazem questão de ir até a Grança Comary para registrar em fotos o local onde treinarão os pentacampeões mundiais. Do alambrado, têm a visão dos campos, de gramados impecáveis, que recebem os últimos retoques. Ali os jogadores receberão a primeira "pressão" da torcida brasileira, em uma pequena prévia do que encontrarão a partir do dia 12 de junho, quando iniciam a campanha pelo hexacampeonato, contra a Croácia, no Itaquerão, em São Paulo.

Comerciantes reforçaram as equipes e investiram em cardápios temáticos. A proprietária de uma padaria que também funciona como restaurante, na região central, contratou quatro novos funcionários para dar conta do trabalho extra. Além disso, criou uma linha de pratos inspirados nos países da Copa. “Nós vamos internacionalizar o cardápio. Traremos alguns pratos típicos dos países participantes, para oferecer mais conforto aos turistas. Dos Estados Unidos, virão os hambúrgueres e o t-bone com molho barcecue. Da Itália, teremos lasanhas, massas e pastas. Da Argentina, virão as empanadas, da Espanha a paella e do Japão, os makimonos. Além disso, vamos oferecer um pouquinho de cada região do Brasil para degustação dos visitantes”, disse Eleine Gaudenzi, que dava os últimos retoques no ambiente, pendurando bandeirinhas coloridas de todos os países da Copa.

Os motoristas de táxi também se prepararam para receber melhor os turistas. Alguns frequentaram aulas de inglês e de espanhol, para se comunicar com os passageiros. Eles esperam que as corridas aumentem muito a partir desta segunda e durante a Copa.“No que depender do povo de Teresópolis, o Brasil vai ser campeão. Estamos animado com a seleção. Para a gente, o aumento do número de turistas vai ser bom. O taxista tem conhecimento prático para mostrar  os locais bonitos”, disse o motorista Adilson Júnior. Para o colega José Augusto Carvalho, o Brasil tem 95% de chance de ser campeão. “O mínimo que a gente espera é chegar à final. Já há muitos turistas. Para a gente, vai ser uma graninha a mais. Nos preparamos para isso, inclusive fazendo cursos de língua. O atendimento vai ser muito bom. Se chegar falando inglês ou espanhol, a gente desenrola um pouquinho”, disse Carvalho, que trabalha como taxista há 20 anos.

Na entrada da cidade, foi instalado um pórtico dando as boas-vindas à seleção. Nas avenidas principais, foram pendurados totens com a figura estilizada dos jogadores e as bandeiras do Brasil e dos adversários. A decoração de algumas ruas da região central foi feita pelos próprios moradores e comerciantes. Pinturas no chão com a Bandeira do Brasil e bandeirolas cobrindo as vias enfeitam a área. “Temos um grupo de amigos e cada um colaborou como pôde. Em 2010, já havíamos feito alguma decoração. Este ano ficou mais bonito. Eu estou otimista com o Brasil. Mas é no campo que se ganha. Por ser aqui, a responsabilidade vai ser maior. Mas vai ser mais gostoso de jogar, pois teremos a torcida toda do nosso lado”, disse o aposentado Carlos Queiroz, que coordenou o trabalho de decoração na região central.

Tags: Mundial, preparação, Rio, serra, Torcida

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.