Jornal do Brasil

Quarta-feira, 20 de Agosto de 2014

Rio

Às vésperas da Copa, ambulantes têm mercadorias apreendidas pela prefeitura

Operação da Seop foi de madrugada, coincidindo com o início das operações para a Copa

Jornal do BrasilCláudia Freitas

Os vendedores ambulantes que ficam na altura do Posto 3, no Aterro do Flamengo, Zona Sul do Rio de Janeiro, tiveram uma amarga surpresa na manhã desta sexta-feira (23/5). Durante a madrugada, as mercadorias foram levadas e algumas ficaram quebradas no local. Segundo testemunhas, a ação foi da Guarda Municipal (GM), que chegou na região por volta das 1h, equipada com caminhão baú e muitas viaturas. Em nota, a GM informou ao Jornal do Brasil que a operação foi realizada pela Secretaria de Ordem Pública (Seop).

Aos prantos, a camelô Maria de Lourdes Soares, de 70 anos, tentava resgatar as poucas mercadorias que restaram da apreensão. Ela chegou no ponto da praia onde deixava as suas mercadorias guardadas em sacos por volta das 8 h e encontrou tudo revirado e destruído. "Eu não sei o que vai ser da minha vida agora. Toda a minha renda vem das vendas aqui na barraca. E eles nem deixaram auto de apreensão. Como vou conseguir as minhas mercadorias de volta? Eu tenho a minha licença de permanência dada pela prefeitura.", reclamou a ambulante.

Maria de Lourdes trabalha no Aterro há 60 anos e criou a sua filha com os rendimentos provenientes das vendas na sua barrada de trabalhos artesanais. "É uma covardia fazer isso com uma idosa. Eu procuro sempre manter os meus documentos e licenças em dia. A prefeitura agiu na calada da noite.", disse ela. 

Ao lado da barraca de Maria de Lourdes, uma equipe que desenvolve programas esportivos para a comunidade do Flamengo também tentava calcular a quantidade de equipamentos levados na operação. "Eles [agentes] levaram em média R$ 10 mil em aparelhos de ginástica. Quando nós chegamos hoje cedo encontramos o nosso container aberto, de cabeço para baixo e sem os equipamentos de trabalho.", contou Patrick dos Santos, instrutor de ginástica da assessoria esportiva Circuito da Praia, que atua há dois anos naquele trecho da praia.

Em nota, a Guarda Municipal informou ao Jornal do Brasil que a operação foi da Secretaria de Ordem Pública (Seop), que teve o apoio da Guarda Municipal, em cumprimento do Decreto 29.881, de 2008, que proíbe em todas as praias do município que sejam guardado ou enterrado qualquer material na areia. Segundo a GM, o decreto, inclusive, determina a apreensão dos equipamentos, materiais, produtos e demais instrumentos utilizados na infração.

A GM esclareceu ainda que o material apreendido é encaminhado ao depósito público da prefeitura, e podem ser resgatados em prazo útil, caso se comprove a devida propriedade. "A ação foi realizada em todas as praias da Zona Sul e fazem parte da rotina da Seop para manutenção do ordenamento urbano e cumprimento da legislação do Código de Posturas Municipais.", diz a nota da GM.

Tags: ambulantes, claudia, matéria, prefeitura, Rio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.