Jornal do Brasil

Terça-feira, 23 de Setembro de 2014

Rio

Soldado baleado na UPP Nova Brasília está em observação

Agência Brasil

Está fora de perigo o soldado Rodrigues, lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Favela Nova Brasília, no Complexo do Alemão, ferido com um tiro no rosto, quando fazia um patrulhamento de rotina, nesta quarta à noite, com outros colegas, perto do Campo do Dedé, na parte baixa da comunidade.

Em nota, a Coordenadoria de Polícia Pacificadora, que controla as UPPs, informou que policiais da UPP Nova Brasília, no Complexo do Alemão, estavam em patrulhamento de rotina, pouco depois das 19h desta quarta-feira, quando passaram pelo Escadão do Loteamento, próximo ao Campo do Dedé, foram alvos de disparos de arma de fogo.

O soldado Rodrigues foi socorrido e, inicialmente, encaminhado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. Depois de medicado, ele foi transferido para o Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio, onde permanece em observação.

Desde o início do ano, quatro militares lotados em UPPs morreram em ataques e confrontos com criminosos: o soldado Rodrigo de Souza Paes Leme, de 33 anos, lotado na UPP Nova Brasília foi morto em 6 de março de 2014; a soldado Alda Rafael Castilho, de 27 anos, morta em 2 de fevereiro de 2014, em frente à UPP do Parque Proletário, na Penha; o soldado Wagner Vieira Cruz, de 33 anos, foi ferido na madrugada do dia 28 de fevereiro de 2014 e morreu em 6 de março de 2014; e o aspirante a oficial Leidson Acácio Alves Silva, de 27 anos, morto em 13 de março deste ano. Os dois últimos estavam lotados na UPP da Vila Cruzeiro, também na Penha. O aspirante a oficial era subcomandante da unidade.

No total, em cinco anos de implantação do programa de pacificação de comunidades, 11 policiais militares morreram em bairros com UPP. A Coordenadoria de Polícia Pacificadora não divulgou o número de policiais feridos em confronto.

Tags: pacificadora, polícia, soldado, tiros, unidades

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.