Jornal do Brasil

Domingo, 26 de Outubro de 2014

Rio

Greve de professores deixa sem aulas 10 mil alunos do Colégio Pedro II

Agência Brasil

Os professores das 14 unidades de ensino do Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro, estão parados desde o último sábado (17), deixando cerca de 10 mil alunos sem aula. Eles reivindicam plano de carreira, reajuste, melhores condições de trabalho e valorização salarial. A greve é por tempo indeterminado. Nesta terça-feira (20), representantes dos docentes vão se reunir, em Brasília, com técnicos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão para tratar das questões específicas da pauta de reivindicações.

Das 14 unidades do Pedro II, dez estão com as atividades paralisadas completamente e quatro parcialmente. De acordo com a coordenadora do Sindicato dos Servidores do Colégio Pedro II (Sindscope), Magda Furtado, "quatro unidades do primeiro segmento do ensino fundamental, do 1º ao 5º ano, estão parcialmente paralisadas, pois os professores aplicam provas que foram adiadas da semana passada, por causa da greve dos rodoviários do município do Rio. As atividades serão paralisadas totalmente na próxima quinta-feira (22)", adiantou.

Para a coordenadora do Sindscope, "o governo tem valorizado as verbas para os megaeventos [Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas 2016] que vão acontecer na cidade, em detrimento das [áreas de] educação e saúde, que são setores primordiais. Com esse descaso vem o achatamento salarial e nós precisamos de melhores condições de trabalho", disse Magda.

O Ministério do Planejamento informou que marcou para amanhã (20) à tarde, em Brasília, encontro dos representantes dos docentes com o secretário de Relações de Trabalho no Serviço Público, Sérgio Mendonça. O Ministério do Planejamento revelou ainda que os docentes fecharam acordo de reajuste salarial com o governo referente a três anos, já receberam as duas primeiras parcelas nos meses de janeiro de 2013 e de 2014 e receberão o próximo aumento em janeiro do ano que vem.

A categoria marcou para a próxima quarta-feira (21) uma manifestação no Centro do Rio, com concentração às 13h30 na Praça XV, próximo a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), e no próximo dia 27, terça-feira da semana que  vem, o sindicato fará outra assembleia para decidir os rumos da greve.

O Colégio Pedro II informou, em nota, que aguarda as negociações entre o MEC e  Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe) em relação à greve dos servidores, deflagrada no último dia 17. O reitor substituto do Colégio Pedro II, Marcelos Caldeira, informou que a instituição também aguarda orientações do MEC para adotar qualquer procedimento sobre a greve. Ainda segundo o reitor, o prédio da reitoria, localizado em São Cristóvão, está funcionando normalmente, bem como as chefias dos setores das 14 unidades do colégio.

Tags: aulas, magistério, paralisação, reajuste, salarial

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.