Jornal do Brasil

Sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

Rio

Deputado quer audiência pública sobre cratera em Ipanema

Moradores também vão entrar com ação no Ministério Público

Jornal do Brasil

O deputado Luiz Paulo, do PSDB, entrou com requerimento na Alerj para a realização de audiência pública para que as autoridades expliquem o surgimento de duas crateras na rua Barão da Torre, em Ipanema, em função das obras que vão estender o trecho do metrô da Praça General Osório até a Praça Nossa Senhora Auxiliadora. O ofício, entregue para aprovação das Comissões de Transporte e de Obras, pede que sejam convocados para esclarecimentos aos moradores da região o Consórcio Linha 4 Sul, as secretarias de Estado de Transportes e da Casa Civil, além da Defesa Civil do município.

>> Moradores de Ipanema pretendem entrar com ação contra empreiteiras da Linha 4

>> Moradores de Ipanema estão apreensivos com abertura de crateras

As crateras apareceram na madrugada de domingo, no último dia 14, e provocaram pânico entre os moradores dos prédios do local. A Defesa Civil municipal imediatamente interveio e paralisou as obras nas proximidades de onde aconteceu o afundamento. De acordo com Luiz Paulo, os afundamentos na rua se devem à ação do tatuzão, máquina que está perfurando o túnel em uma região arenosa. "Um dia o mar chegava até ali e a areia é um dos solos mais complexos para você fazer escavação, pois os grãos não se unem", explica.

Segundo Ignez Barreto, do Projeto Segurança em Ipanema (PSI), um movimento que reúne moradores do bairro, os moradores decidiram em reunião entrar com uma ação junto ao Ministério Público " Vamos pedir que a obra, que está parada, só seja retomada quando soubermos direito o que aconteceu. Queremos que eles estudem e debatam conosco sobre a solução que vão apresentar, porque isso de fazer obra sem discutir com a população já vimos que não dá certo", comentou a moradora do bairro.

O parlamentar diz que pode ter havido fuga de areia no momento em que o tatuzão ia furando o solo, desestabilizando a superfície do entorno e provocando o afundamento. "Pode ter havido infiltração de uma galeria de água pluvial que se rompe ou então de uma pequena adutora, o que também pode promover fuga de areia".

Para o deputado, o principal esclarecimento que as autoridades podem fornecer é se houve falha no projeto, na execução, ou se houve questões imprevisíveis. "Na forma como esse projeto foi desenvolvido, sem licitação e sem estar no planejamento metroviário da nossa cidade, as hipóteses de um projeto incompleto ou de uma falha na execução, ou até mesmo as duas associadas, é uma hipótese provável", avalia Luiz Paulo.

Tags: acidente, cratera, deputado luiz paulo, ipanema, linha 4, Metrô, Rio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.