Jornal do Brasil

Quinta-feira, 2 de Outubro de 2014

Rio

Passagens de trem e metrô aumentam na segunda-feira

Enquanto isso, rodoviários preparam nova assembleia para terça-feira

Jornal do BrasilAna Luiza Albuquerque*

A partir da próxima segunda-feira (19), as passagens de trem passarão de R$ 2,90 para R$ 3,20 (5,6% de aumento) e as de metrô subirão de R$ 3,20 para R$ 3,50 (5,66% de aumento). A Agência Reguladora de Transportes Públicos (Agetransp) autorizou o reajuste.

Quem tem o Bilhete Único intermunicipal, entretanto, pagará o mesmo valor de antes. O governo escolheu subsidiar as concessionárias para manter a tarifa de R$ 5,25, a qual permite a utilização do bilhete por, no máximo, três horas entre as integrações. Aqueles que ainda não têm o Bilhete Único podem se cadastrar pelo site da Riocard ou em um dos sete postos montados em estações da SuperVia e nos seis do Metrô.

O cadastramento pode ser realizado nas estações Central do Brasil, Engenho de Dentro, Madureira, Deodoro, Nilópolis, Bonsucesso e Duque de Caxias. No Metrô, as estações são Coelho Neto, Pavuna, Carioca, Siqueira Campos, General Osório e Central.

Rodoviários preparam nova assembleia

No setor rodoviário, a possibilidade de uma nova greve continua. Segundo Maura Gonçalves, cobradora e uma das lideranças do movimento grevista, será realizada uma assembleia da categoria na próxima terça-feira (20), às 16h, na Candelária, para definir os rumos do movimento. "Ninguém entrou em contato para reajuste. Nem o governo nem a Rio Ônibus. Queremos salário de R$ 2.500 para motorista e R$ 1.400 para cobrador, cesta básica de R$ 400, plano de saúde, redução da carga horária e fim da dupla função de motorista e cobrador", discorre. Maura aponta, ainda, que a ideia da Catraca Livre, pela qual a categoria continuaria trabalhando e os passageiros entrariam pela porta de trás sem pagar passagem, não é realista. "Isso não procede. A empresa é privada, haveria demissões", defende.

O dia 8 de maio marcou a primeira paralisação dos rodoviários. Com a greve, que durou 24h, cerca de 24% dos ônibus circulavam naquele dia às 18h. Um grupo de aproximadamente 600 trocadores e motoristas fez uma passeata até o Ministério Público do Trabalho. Na última terça-feira (13), ocorreu outra paralisação, mas desta vez durante dois dias. No primeiro, cerca de 18% da frota estava em circulação às 11h30. Já na quarta-feira (14), 40% dos ônibus estavam em uso às 12h.

*Programa de Estágio Jornal do Brasil

Tags: aumento, greve, Metrô, onibus, passagem, rodoviários

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.