Jornal do Brasil

Quarta-feira, 30 de Julho de 2014

Rio

Engenheiros e arquitetos da prefeitura do Rio paralisam atividades por três dias

Agência Brasil

Cerca de 1,2 mil engenheiros, arquitetos e geólogos da prefeitura do Rio pararam as atividades por três dias a partir de hoje (13). Eles reivindicam piso salarial de nove salários mínimos. Atualmente, o salário bruto inicial corresponde a aproximadamente R$ 4,7 mil, com defasagem de 70% em relação ao mercado profissional segundo representantes da categoria.

De acordo com o presidente da Sociedade de Engenheiros e Arquitetos do Estado do Rio de Janeiro (Seaerj), Joelson Zuchen, a categoria foi recebida pelo prefeito Eduardo Paes em meados de março. No encontro, ele se comprometeu a estudar a proposta de reajuste apresentada e pediu 30 dias para dar uma resposta.

“O prefeito Eduardo Paes nos recebeu em 14 de março, dizendo que estava assumindo pessoalmente a negociação e que nos daria uma resposta em um mês. Mas, desde então, não obtivemos nenhum posicionamento do prefeito”, disse Zuchen.

Segundo a Seaerj, a paralisação pode afetar as obras da prefeitura do Rio, que dependem dos engenheiros e arquitetos para fiscalização, acompanhamento e assinatura da liberação do pagamento às empresas executoras dos serviços.

Mesmo com a paralisação, a Secretaria Municipal de Obras informou que os trabalhos serão realizados normalmente e não vai haver nenhum impacto significativo nas obras executadas pela prefeitura do Rio. A categoria marcou nova assembleia para quinta-feira (15) para decidir os rumos do movimento.

Tags: arquitetos, funcionários, greve, Rio, Secretaria

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.