Jornal do Brasil

Sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

Rio

RJ: ato marca 6 anos do desaparecimento de Patrícia Amieiro

Família pede agilidade da Justiça para que quatro policiais acusados sejam julgados

Portal TerraMarcelle Ribeiro 

Familiares da engenharia Patrícia Amieiro, desaparecida há seis anos no Rio de Janeiro, farão um ato em homenagem a ela e pedindo justiça, às 11h30 deste sábado (10). Patrícia desapareceu quando voltava para casa após uma festa. O carro dela foi encontrado no Canal do Marapendi, na Barra da Tijuca, Zona Oeste da capital fluminense, com marcas de tiros, em 14 de junho de 2008. 

Quatro policiais militares são suspeitos de terem matado Patrícia e teriam ocultado o cadáver dela. A família reivindica mais agilidade da Justiça para que os quatro PMs acusados do crime sejam julgados por júri popular. Os parentes querem que os PMs digam onde a ossada de Patrícia está escondida, para fazer o enterro dela.

Engenheira desapareceu no Rio há seis anos, quando voltava para casa de uma festa
Engenheira desapareceu no Rio há seis anos, quando voltava para casa de uma festa

Os parentes de Patrícia colocarão uma faixa com os dizeres "6 anos em busca de Justiça" perto da saída do túnel do Joá, na Barra. Eles farão um ato ecumênico em volta do "Jardim Patrícia Amieiro", que será reconstruído, após ter sido danificado em abril deste ano. Segundo a família, os danos ao jardim foram feitos propositalmente. 

Cartas que um avô de Patrícia escreve diariamente para ela serão lidas no ato por vítimas da violência do Rio de Janeiro. Entre elas estão Jovita Belford, mãe da jovem Priscila Belford, que está desaparecida; Tânia Lopes, irmã do jornalista Tim Lopes, morto pelo seu trabalho investigativo; e Carlos Santiago, pai da menina Gabriela Prado, morta durante um assalto a uma estação do metrô do Rio.

Após a leitura das cartas, os familiares e amigos vão depositar flores, cartazes e fotos em volta do jardim, que os parentes querem que passe a ser cuidado pela prefeitura. A família de Patrícia também quer o governo federal crie uma comissão para apurar casos de desaparecimento durante a democracia, já que afirma que apenas no estado do Rio de Janeiro, de 2007 a março de 2014, houve 38.614 casos de desaparecimento.

Os policiais Marcos Paulo Nogueira Maranhão e Willian Luis do Nascimento respondem judicialmente pelo crime de homicídio tentado de Patrícia e por fraude processual, por terem alterado o local do crime. Os PMs Fábio da Silveira Santana e Márcio Oliveira dos Santos respondem apenas por fraude processual.

Tags: desaparecidos, engenheira, justiça, Polícia Militar, violência

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.