Jornal do Brasil

Quinta-feira, 2 de Outubro de 2014

Rio

Mutirão carcerário analisará milhares de casos de presos provisórios no Rio

Agência Brasil

As cadeias e presídios do estado do Rio abrigam de 14.000 a 14.500 presos provisórios, pessoas presas por decisão judicial, mas que ainda aguardam julgamento. A estimativa é da juíza Adriana Lopes Moutinho, da Corregedoria-geral do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, coordenadora do mutirão carcerário iniciado ontem (5) e encerramento marcado para o próximo dia 16.

O objetivo é reavaliar a manutenção do réu preso. A iniciativa abrange varas criminais, inclusive juizados de violência doméstica e familiar contra a mulher, juizados especiais criminais e Auditoria Militar.

“Nesses 10 dias úteis, todos os magistrados com competência criminal reanalisarão a necessidade da manutenção de cada prisão provisória efetivada, decidindo por mantê-la ou por conceder a liberdade”, explicou a juíza, por e-mail.

De acordo com a magistrada, a expectativa é que milhares de casos sejam reavaliados durante o mutirão. A iniciativa é feita todos os anos, em cumprimento a resolução conjunta do Conselho Nacional de Justiça e do Conselho Nacional do Ministério Público.

Tags: agilidade, prisões, processos, provisórios, Rio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.