Jornal do Brasil

Domingo, 31 de Agosto de 2014

Rio

Moradores do Rio Comprido fazem nova manifestação pelo Salles Netto

Hospital será transformado em um Centro Municipal de Saúde 

Jornal do BrasilGisele Motta *

Moradores do Rio Comprido fizeram um protesto na noite desta segunda-feira (5) em frente ao Hospital Salles Neto. Em meio a gritos de “acorda, Rio Comprido!”, os manifestantes demonstraram revolta contra a transformação do hospital em um Centro Municipal de Saúde, como promete a Prefeitura. 

>>Salles Netto: fim de atendimento pediátrico exclusivo preocupa moradores

“Saiu no Diário Oficial que uma Clínica da Família deve ser feita na Rua do Bispo, então por que querem fazer uma aqui? Por que acabar com um hospital para fazer uma Clínica da Família?”, critica Sandro Matos, morador do Rio Comprido e administrador da Página Rio Comprido, no Facebook, que alerta para diversos problemas na área. 

Sandro também trabalha no bairro e diz que o hospital salvou a vida de seu irmão. “Em outros lugares, como no Centro de Saúde da Laureano Portugal, os médicos estão sempre mudando, o atendimento não é bom”, completa o morador, mostrando uma caderneta, onde se verifica que ele foi atendido com intervalo de meses, sempre por médicos diferentes em um centro municipal da região. 

Lucy Pereira faz parte do Conselho Distrital de Saúde, que se manifestou contra as mudanças no Salles Netto. “Nós não fomos respeitados. Nós deliberamos há um ano que não queríamos que isso deixasse de ser um hospital infantil. O prefeito está jogando tudo fora, sucateando o lugar para ter a desculpa de mudar tudo”, completa. Segundo os moradores, no próximo dia 8 vai acontecer uma reunião com no Conselho Distrital. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) não se manifestou até o fechamento desta matéria. 

Uma moradora do Rio Comprido que se identificou como Carla relembra a eficiência do hospital “Eu estava desempregada, com dois filhos, e eles foram tratados aqui. Tinha remédio na hora, exame, tudo em trinta minutos. Qual a outra opção? UPA? Ficar horas na fila? É um absurdo o que estão fazendo aqui”.

A assistente social Flávia Caetano diz que o local é um centro de referência: "Já encaminhei diversas crianças para cá, vindas do Complexo do Alemão, por exemplo. O hospital é visto não só como um hospital, mas como um centro de referência pediátrica", completa. 

Outra moradora, que se identificou como Márcia, diz que a opção para quem não será mais atendido no Salles Netto é o Hospital Menino Jesus. “Primeiro, que ele fica em Vila Isabel. Segundo que não tem CTI, UTI pediátrica. Eles querem fazer uma clínica da família, ou um centro municipal, só troca o nome para a mesma coisa: agente de saúde e poucos médicos”, critica. “Não é isso que precisamos”, completa. Ela diz que o povo se uniu contra o absurdo que está sendo feito e eles querem uma resposta das autoridades. 

A mudança já tinha sido anteriormente confirmada pela SMS. A Secretaria informou que a unidade faz hoje uma média de 80 atendimentos ambulatoriais e de especialidades pediátricas por dia. Com as mudanças, passará para 320, e começará a atender adultos. A Secretaria também não se pronunciou sobre a gestão do hospital que passa a ser uma Organização Social de Saúde (Oss). 

*Do programa de estágio do Jornal do Brasil

Tags: hospital pediátrico, rio comprido, RJ, salles netto, SAÚDE

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.