Jornal do Brasil

Segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

Rio

Ana Rita e Wadih conversam com caseiro envolvido na morte de coronel da ditadura

Jornal do Brasil

A presidente da Comissão de Direitos Humanos do Senado, senadora Ana Rita (PT-ES), e o presidente da  Comissão da Verdade do Rio de Janeiro, Wadih Damous, irão conversar nesta terça-feira (06), às 9 horas, na Delegacia do Leblon, com o caseiro Rogério Pires, que logo após ser preso admitiu ter participado do crime que acabou vitimando o coronel reformado do Exército Paulo Malhães. 

Vão acompanhar ainda a conversa com o caseiro, que está preso desde a semana passada, os senadores Randolfe Rodrigues (Psol-AP) e João Capiberibe (PSB-AP). Logo em seguida, às 11 horas, a comitiva de senadores, juntamente com Wadih Damous, será recebida pelo chefe de Polícia do Rio de Janeiro, Fernando Veloso.

Ao justificar a vinda dos senadores ao Rio, o presidente da Comissão da Verdade afirmou que no seu entendimento esse crime não pode ser tratado como crime qualquer. "A confissão do caseiro não comoveu ninguém. Nem a mim", disse Damous, que na semana passada reivindicou a vinda da Comissão de Direitos Humanos do Senado para tomar pé do andamento das investigações junto à cúpula da polícia do estado.

Segundo Damous, tudo indica que o assassinato do coronel Paulo Malhães, torturador e assassino confesso de presos políticos durante a ditadura, não foi um mero crime comum. Recentemente, Malhães tinha dado depoimentos à Comissão da Verdade do Rio de Janeiro, confessando alguns de seus crimes e, inclusive, detalhando procedimentos usados para fazer desaparecer os corpos de presos políticos.  

As circunstâncias de sua morte apontam para uma queima de arquivo e uma tentativa de intimidação de outros agentes do aparelho repressivo do regime militar que, porventura, estivessem também dispostos a prestar depoimentos sobre os anos de chumbo.

 

 

Tags: comissão, presidente, Rio, senado, verdade

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.