Jornal do Brasil

Terça-feira, 30 de Setembro de 2014

Rio

Mangueira ganha centro de referência para garantir direitos de menores

Jornal do Brasil

Para proteger menores em situação de risco durante a realização de grandes eventos esportivos, o Rio ganha um Centro de Referência para garantir Direitos de Crianças e Adolescentes (CRCA). Dados do Serviço Nacional do Disque 100, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, apontam que o número de denúncias de violação de direitos para este público aumenta em 20% nestes períodos. O novo espaço funcionará na Mangueira e estará pronto em 2015. As obras são realizadas pela EMOP como parte de investimentos do PAC2 na região. 

Já durante a Copa do  Mundo de Futebol, em junho, a Casa da Arte de Educar – que vai gerir o espaço a partir do ano que vem – fará o atendimento de crianças da região da grande Tijuca na sua atual sede, que fica na Rua Ana Neri 155, para onde podem ser encaminhadas possíveis vítimas de abusos. Para fortalecer a rede de proteção, a ONG, que atua há 15 anos na região da Mangueira, se articular com lideranças comunitárias, coordenadores de UPPs, dentre outros atores.

“Grandes eventos trazem econômico para as cidades sede, com mais empregos, melhorias na habitação e infraestrutura.  Ao mesmo tempo, se não executados e monitorados de forma correta esses eventos podem significar violação de direitos, impactos negativos sobre o meio ambiente e a população”, destaca Sueli de Lima, coordenadora geral da Casa da Arte de Educar. Atualmente a Casa da Arte de Educar, que é referência em educação integral para favelas cariocas, atende 200 crianças e adolescentes. São oferecidas atividades educacionais, artístico-culturais, atendimento social e psicológico, além de um trabalho específico com familiares para resgatar o direito à convivência familiar e a dignidade de menores em situação de risco social. 

Com a inauguração do novo espaço físico, em 2015, a Casa da Arte de Educar vai ampliar o número de atendimentos e criar uma rede forte de combate a casos de exploração de trabalho infantil, violência sexual, física e psicológica e casos de negligência contra menores. “A ação já existe e vai se expandir. Há um trabalho próximo com lideranças, associações e UPPs para a criação de uma rede para ajudar na garantia de direitos de crianças e adolescentes”, conta Sueli. Com recursos federais e contrapartida do Governo do Estado, o CRCA ocupará uma área de 500 m². O projeto arquitetônico foi planejado para ter condições de desenvolver a Metodologia Mandala dos Saberes, que valoriza os saberes locais, e é uma ferramenta importante de aproximação entre escolas e comunidades. Criada em 2007 pela Casa da Arte de Educar, a metodologia é reconhecida pela UNESCO, foi implementada em cerca de 30.000 escolas brasileiras por meio do Programa Mais Educação.  O projeto também conta com parceiros como a Petrobras e a Unesco

Tags: direitos, esportivos, eventos, investimentos, mangueira, ONG, Violação

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.