Jornal do Brasil

Terça-feira, 2 de Setembro de 2014

Rio

Nove ônibus são queimados em noite de protestos na Zona Norte do Rio

Jornal do Brasil

Nove ônibus foram queimados e uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) foi depredada na noite desta segunda-feira (28), durante protesto de moradores do Morro do Chapadão, em Costa Barros, e do Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio. O confronto também acabou com um ferido, quatro adultos presos e dois menores apreendidos.

O protesto teria como motivação a morta da idosa Arlinda Bezerra de Assis, de 72 anos, na noite de domingo (27), e de um jovem de 17 anos, também na tarde de segunda-feira. A idosa tentava proteger o neto durante um tiroteio no Alemão, enquanto que o jovem foi baleado durante a troca de tiros entre PMs e criminosos.

Ônibus queimado durante protesto
Ônibus queimado durante protesto

De acordo com as informações da Polícia Militar, a troca de tiros aconteceu durante uma operação na comunidade para para coibir o tráfico de drogas e roubo de veículos. O delegado-titular da 39ª DP (Pavuna), Luiz Alberto Cunha, disse que a vítima tinha envolvimento com o tráfico de drogas no Chapadão. Com o rapaz foram encontrados um rádio transmissor e uma pistola, além dele estar em um carro roubado. 

O carro e o armamento encontrado foram encaminhados para a delegacia. As armas dos policiais que participaram da operação também foram apreendidas e vão passar por perícia. Por volta das 20h o trânsito ainda estava complicado na região e não havia informação sobre feridos.

O governador Luiz Fernando Pezão afirmou, na manhã desta terça-feira (29/4), que o Governo do Estado do Rio não irá tolerar ataques e atos violentos, ou qualquer tentativa de desestabilizar o processo de pacificação de comunidades. O governador reiterou que não há retorno na política de pacificação, que atualmente beneficia 1,5 milhão de pessoas. 

"Não há recuo no processo de pacificação, que vem retomando territórios, dominados, durante muitos anos, por bandidos. Não vamos tolerar baderna, atos de vandalismo, destruição de patrimônio. Aqueles que cometerem esses atos serão submetidos ao rigor da lei. Segurança é prioridade, enfrentamos problemas que há décadas não eram combatidos. Vamos avançar, aumentando nosso quadro de policiais e investindo em formação e nas condições de trabalho", declarou.

Na manhã desta terça-feira, o governador entrou em contato com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e com a presidente do Tribunal de Justiça do Rio, desembargadora Leila Mariano, para solicitar apoio ao pedido de transferência de Bruno Eduardo Da Silva Procópio, o Piná, para um presídio federal. O pedido de transferência será remetido, nesta terça-feira (29) ao TJ-RJ. Ainda esta semana, a Secretaria de Segurança vai solicitar a transferência de Eduardo Fernandes de Oliveira, o 2D, e de Ramires Roberto da Silva. 

Os três integram uma facção criminosa responsável por atos violentos e morte de policiais, como a soldado Alda Rafael Castilho, assassinada em fevereiro. Piná e 2D foram presos no ultimo dia 21 em Búzios, na Região dos Lagos. Já Ramires foi preso no último domingo (27/4), por agentes da unidade da UPP Parque Proletário, na Penha, Zona Norte do Rio. 

O Governo do Estado informa ainda que os comandos da Secretaria de Segurança, Polícia Militar e Polícia Civil estão em contato permanente. O policiamento Complexo do Alemão continua reforçado.

Tags: alemão, chapadão, morte, protesto, revolta, Rio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.