Jornal do Brasil

Sábado, 26 de Julho de 2014

Rio

Servidores públicos municipais do Rio fazem passeata após deflagrarem greve

Manifestação começou às 11h desta terça. Greve foi anunciada na última segunda

Jornal do BrasilRafael Gonzaga*

Servidores públicos do município do Rio de Janeiro realizaram um protesto na manhã desta terça-feira, em frente à sede da Prefeitura, no Centro. Os manifestantes seguiram em passeata pelas avenidas Presidente Vargas e Rio Branco até a Câmara de Vereadores. Segundo representantes do movimento, cerca de 300 pessoas compareceram à manifestação.

Os servidores públicos entraram em greve na segunda-feira, (7) em assembleia que reuniu cerca de 500 trabalhadores, de acordo com o Sindicato dos Servidores Público do Município do Rio de Janeiro (Sisep-Rio).

Os trabalhadores reivindicam o reenquadramento dos administrativos e desviados da função – datilógrafos, recepcionistas e telefonistas, dentre outros, que exercem atualmente atividades de administrativos. Na pauta de reivindicação está ainda a majoração do vale alimentação em R$ 600, gratificação por qualificação e a revogação da resolução SMA 1225/05 que, de acordo com eles, prejudica a categoria.

Servidores caminham pela Av. Presidente Vargas durante manifestação.
Servidores caminham pela Av. Presidente Vargas durante manifestação.

Segundo o calendário da greve, os servidores irão paralisar suas atividades entre os dias 9 e 16 de abril, e novas assembleias estão marcadas para os dias 11 e 16.

O advogado Frederico Sanches, representante do Sisep-Rio, disse que foi feito contato com a prefeitura e a resposta obtida do chefe de gabinete do prefeito é que as reivindicações não poderiam ser atendidas por falta de orçamento e impossibilidade de aumentos salariais por conta da proximidade de período eleitoral.

A reportagem do JB entrou em contato com o gabinete da Prefeitura, mas ainda não obteve retorno.

Um dos grupos que aderiu ao movimento foi a categoria dos trabalhadores de controle urbano. De acordo com o agente de inspeção de controle urbano Renato Oliveira, eles pedem a inclusão da categoria no projeto de lei nº 561/2013, que contempla com aumentos de salário e gratificação por produtividade outras nove categorias da Secretaria Municipal da Fazenda, com exceção dos agentes de controle urbano.

“Apesar de sermos da secretaria também, ficamos excluídos. Estamos indo para a Câmara reivindicar isso desde o ano passado, toda terça, quarta e quinta”, contou Renato.

Ainda de acordo com os articuladores da greve, os manifestantes estão sendo ameaçados de ter o ponto cortado, apesar de representantes do movimento garantirem que a greve foi protocolada dentro da legalidade.

Tags: controle urbano, greve, manifestação, prefeitura, servidores públicos

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.