Jornal do Brasil

Sábado, 23 de Agosto de 2014

Rio

Mulher de ex-chefe do tráfico da Rocinha é transferida

Portal Terra

?Presa na segunda-feira, a mulher do ex-chefe do tráfico da Rocinha Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, foi transferida de Campo Grande (MS) para o Rio de Janeiro nesta quinta-feira, segundo a Polícia Federal. Danúbia de Souza Rangel, presa em casa na cidade, é acusada de repassar orientações do traficante, que está preso, para outros bandidos da mesma quadrilha. Na Rocinha, ela é conhecida como "xerifa" da favela. Nas redes sociais, Danúbia costumava publicar fotos ostentando riqueza, ao lado de helicópteros, em festas e com bebidas. 

Na mesma ação, na semana passada, a PF prendeu cinco policiais militares na Rocinha. Eles são acusados de tráfico de drogas e associação para o tráfico e pertenceriam a uma organização criminosa. Os PMs são suspeitos de repassar para bandidos informações sobre investigações e operações da polícia. Dos cinco PMs, quatro faziam parte do Grupo Tático de Proximidade (GTPP), órgão responsável por patrulhar a região em busca de armas e drogas. O outro fazia parte do Setor de Inteligência. Agentes da PF fizeram buscas nos armários dos PMs na sede da UPP Rocinha.

Nem foi preso pelo Batalhão de Choque da Polícia Militar no início da madrugada de 10 de novembro de 2011 escondido no porta-malas de um carro parado em uma blitz em uma das saídas da maior favela da América Latina. Ele comandava o tráfico da Rocinha e do Vidigal, em São Conrado, com João Rafael da Silva, o Joca, desde outubro de 2005, quando substituiu o traficante Bem-te-vi, que foi morto. Com 35 anos, dez de crime e cinco como o chefe das bocas de fumo mais rentáveis da cidade, ele tinha nove mandados de prisão por tráfico de drogas, homicídio e lavagem de dinheiro.

O fim do domínio de Nem na Rocinha foi o último obstáculo à entrada das forças de segurança na favela para a instalação de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), ocorrida 13 de novembro de 2011, com a atuação de agentes das polícias Civil, Militar e Federal, além de homens das Forças Armadas.

Tags: drogas, pacificadas, Rio, tráfico, unidades

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.