Jornal do Brasil

Terça-feira, 25 de Novembro de 2014

Rio

PF: presos na ocupação da Maré tem ligações com Menor P

Agência Brasil

O chefe da Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro, Roberto Cordeiro, disse hoje (30) que todas as pessoas presas pelos agentes da PF - durante a ocupação do Complexo da Maré pelas forças de segurança da Polícia Militar - têm relações diretas com a facção criminosa chefiada pelo traficante Menor P, preso na Operação Maioridade, na quarta-feira (26), em Jacarepaguá, zona oeste da cidade.

“Foi exatamente a Operação Maioridade deflagrada pela Policia Federal, que levou à prisão do Menor P e permitiu a localização para prender alguns dos traficantes que fazem parte da facção. Todos têm de alguma forma ligação e participam diretamente da quadrilha que era chefiada por ele”, disse. 

Cordeiro explicou que as drogas e armas apreendidas também pertencem a facção criminosa. Durante a operação a PF apreendeu quase meia tonelada de maconha, além de farto armamento em um paiol localizado atrás da Vila Olímpica. “O importante é que esse desdobramento foi possível graças à ocupação do território pelas forças de segurança do estado. Foi o que nos possibilitou entrar, operar e prender esses criminosos”, disse.

Na manhã deste domingo a Polícia Federal prendeu, em Niterói, no Grande Rio, Diane de Barros Rodrigues, de 24 anos, ex-namorada do traficante Marcelo dos Santos das Dores, o Menor P, ex-chefe do tráfico em 11 comunidades do Conjunto de Favelas da Maré.

Em operação paralela à ocupação do Complexo da Maré, agentes da Polícia Federal prenderam, também na manhã de hoje (30), pelo menos três pessoas ligadas ao chefe do tráfico de drogas da Maré. Além de Diane, foram presos o agente penitenciário Luciano Fagundes Pinheiro e um sargento da Polícia Militar, cujo nome não foi revelado. 

A Operação Maioridade vem sendo desenvolvida pela Polícia Federal com a meta de prender Fabiano Santos de Jesus, o Zangado, irmão de Menor P, além de cumprir 14 mandados de prisão.

Tags: ação, maré, ocupação, polícia, Rio, upp

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.