Jornal do Brasil

Terça-feira, 29 de Julho de 2014

Rio

Agetransp multa concessionárias em R$ 1,5 milhão por incidentes em janeiro

Jornal do Brasil

Em sessão regulatória extraordinária realizada nesta quarta-feira (26), a Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro) decidiu multar as concessionárias Supervia, Metrô Rio e CCR Barcas por incidentes ocorridos entre os dias 13 e 22 de janeiro deste ano. Somadas, as multas chegam a R$ 1.525.162,46.

A concessionária Supervia foi multada em R$ 868.474,96 no processo que apurou a qualidade do atendimento aos usuários durante incidente ocorrido no dia 22 de janeiro, quando um trem do ramal Saracuruna descarrilou nas proximidades da estação São Cristóvão, ocasionando quebra das estruturas de sustentação da rede aérea e de sinalização, com interrupção da circulação em todos os ramais, que durou mais de dez horas e teve reflexo em outros meios de transporte, como ônibus e metrô.

O conselho diretor da Agetransp considerou a nota técnica da Catra (Câmara Técnica de Transportes e Rodovias), que apontou como causas da deficiência no atendimento aos usuários a insuficiência de treinamento dos agentes envolvidos, déficit de pessoal nas estações mais afetadas, e gerenciamento inadequado do incidente com relação ao plano de contingência da concessionária.

A Concessionária CCR Barcas foi multada em R$ 367.746,12 no processo que apurou avaria no catamarã Neves V, ocorrida na manhã do dia 13 de janeiro, próximo à estação Arariboia, em Niterói, logo após iniciar viagem em direção ao Rio de Janeiro, vindo a encalhar ao lado da ponte de atracação do terminal de partida.

O conselho diretor a Agetransp considerou nota técnica da Catra, que apontou como causa provável da avaria o desgaste precoce dos relés de impulso, que são acionados quando apertados os botões de transferência de uma cabine de comando para a outra. O desgaste teria sido responsável pela transferência parcial do comando, originando o incidente.

Para a agência, o incidente poderia ter sido evitado caso a concessionária tivesse atendido as recomendações que constam em laudo técnico, elaborado por perito em eletrônica naval, após um incidente ocorrido com embarcação semelhante (catamarã HC-18) em novembro de 2011. Entre as recomendações, constava incluir no seu programa de manutenção testes em equipamentos discretos tal como o relé, o que não foi seguido pela concessionária.

A concessionária Metrô Rio foi multada em R$ 288.941,38 no processo que apurou desacoplamento mecânico entre dois carros do metrô, ocasionando a paralisação da circulação dos trens da Linha 2, na noite do dia 16 de janeiro, entre as estações de Irajá e Colégio.

O conselho diretor da Agetransp considerou a nota técnica da Catra, na qual consta como causa do problema no engate mecânico o travamento da alavanca de desacoplamento manual do engate devido a torque excessivo na montagem do parafuso pivotante da alavanca. Em decorrência do incidente, houve paralisação dos serviços da Linha 2 durante aproximadamente 90 minutos, com reflexos na Linha 1, que operou com intervalos irregulares, em horário de pico vespertino.

Tags: agência, barcas, Metrô, reguladora, Transportes

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.