Jornal do Brasil

Sábado, 26 de Julho de 2014

Rio

Rio está em alerta máximo contra novos ataques a UPPs

Dilma autoriza apoio de tropas federais no Rio de Janeiro para combater criminalidade

Jornal do BrasilPor Camila Funare*

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, garantiu nesta sexta-feira que todas as forças policiais ficarão em estado de alerta durante o fim de semana. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, também afirmou que as tropas federais estarão à disposição do estado nesses próximos dias, caso seja necessário. Todas essas medidas foram tomadas a nível emergencial, durante um encontro com a presidente Dilma Rousseff, na tarde desta sexta (21), em Brasília, em vista dos ataques de criminosos a três Unidades de Polícia Pacificadora. Os governos federal e estadual estão mobilizados para garantir o ir e vir da população.

Na UPP de Manguinhos, na zona norte, policiais militares foram atacados por criminosos que estavam infiltrados em uma manifestação. Os moradores protestavam contra a desocupação de um prédio ao lado da Distribuidora de Suprimentos Disup, para obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), na Avenida Leopoldo Bulhões. Os criminosos atearam fogo em três contêineres móveis distribuídos pela comunidade, que já foram substituídos. O capitão Gabriel Toledo, que havia sido atingido por um tiro de fuzil na perna, está em observação no Hospital da Polícia Militar. Outro policial militar, não identificado, também foi ferido com uma pedrada na cabeça, durante o protesto, mas foi medicado no hospital e liberado.

Também houve registros de ataques às UPPs do Complexo do Lins e na Comunidade de Camarista Méier, ambas na zona norte. A situação também ficou tensa no Complexo do Lins e no Morro dos Macacos, em Vila Isabel, onde houve manifestações, com ataque a tiros no Lins e na base avançada da Comunidade Camarista Méier. Na Rua Maranhão, um dos acessos ao bairro do Lins, um ônibus foi incendiado.

Ainda durante a madrugada, diante de confrontos em três áreas do estado, Cabral e o secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, se reuniram com o Gabinete de Crise, em caráter de urgência para “fazer uma análise da situação da criminalidade, que tem como finalidade enfraquecer a política de pacificação”, explicou o governador. O encontro contou com a presença do Comando da Segurança Pública no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC). Participaram do encontro o chefe de Polícia Civil, Fernando Veloso, e o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Luiz Castro de Menezes.

O secretário afirmou, na manhã desta sexta-feira, que a ordem para os ataques às UPPs partiu de chefes de uma facção do tráfico que estão em um presídio. “Posso dizer isso a vocês, nós temos isso confirmado. E o que nós viemos fazer aqui é exatamente um plano para que possamos proteger sem dúvida nenhuma a cidade de mais esta crise", disse Beltrame, referindo-se à reunião de emergência realizada durante a madrugada, pela qual também ficou definido o pedido de tropas federais à Presidência da República, para lidar com a criminalidade no Rio de Janeiro.

O encontro com a presidente, no Palácio do Planalto, teve a presença do vice-governador, Luiz Fernando Pezão, do secretário estadual de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, do comandante-geral da Polícia Militar do Rio, coronel José Luís Castro, e do chefe da Polícia Civil do Estado, Fernando Veloso. 

Os ministérios da Justiça e da Defesa não detalharam quais serão as tropas federais nem a quantidade de homens que serão enviados. De acordo com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, as informações são mantidas em sigilo por motivo de segurança.

Cabral elogiou o apoio recebido da União. ”A marginalidade tenta ocupar territórios, desmoralizar a nossa polícia. Mas o estado é um só, e tem que se mostrar unido e capaz de se mobilizar. Espero que possamos na segunda-feira avançar e, quem sabe, já materializar o que faremos em conjunto. O fato é que teremos das forças federais o apoio que nunca nos faltou. A presidente Dilma nunca nos faltou com apoio e solidariedade”, garantiu o governador.

*Do projeto de estágio do Jornal do Brasil

Tags: ataque;, comunidade, criminosos;, rio;, upp;

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.