Jornal do Brasil

Quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

Rio

Justiça absolve coronel da PM acusado de comandar esquema de corrupção

Agência Brasil

A Justiça do Rio absolveu o coronel da Polícia Militar (PM) Djalma José Beltram,i acusado de comandar um esquema de corrupção em 2011, quando estava à frente do 7º BPM, em São Gonçalo, região metropolitana da capital. O oficial foi preso em dezembro daquele ano, juntamente com mais 12 PMs.

Ele foi indiciado pelo delegado Alan Luxardo, titular da Divisão de Homicídios de Niterói, sob a acusação de receber propina de bandidos do Morro da Coruja, em São Gonçalo. Em troca, os PMs deveriam fazer vista grossa para o tráfico de drogas na região.

Nas provas apresentadas pela Polícia Civil estavam escutas telefônicas de conversas entre PMs e traficantes que fariam referências a Beltrami. Mas, em nenhum dos diálogos, o oficial foi flagrado falando ao telefone com pessoas ligadas ao tráfico de drogas no Morro da Coruja ou com qualquer outra pessoa, que fizesse menção a pagamento de propina.

O Ministério Público ofereceu denúncia e o coronel Beltrami foi a julgamento. Na semana passada, no entanto, quase três anos depois de ser indiciado, Beltrami foi absolvido na Justiça. Para o juiz do caso, não foram colhidas provas suficientes para condenar o coronel.

Na decisão, o juiz Márcio da Costa Dantas, titular da 2ª Vara de São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos,  disse que o depoimento do coronel Erir Ribeiro, ex-comandante geral da PM, sobre Beltrami foi fundamental para a absolvição do oficial. Erir destacou que "os órgãos de inteligência nunca captaram qualquer notícia de envolvimento de Beltrami com a criminalidade".

O caso sobre o esquema de corrupção no 7º Batalhão da PM foi desmembrado em três processos e corre em segredo de Justiça. De acordo com o Tribunal de Justiça, do total de 40 acusados, 28 foram condenados, três absolvidos, entre eles o coronel Djalma Beltrami, três morreram ao longo do processo e seis estão foragidos.

Tags: beltrami, decisão, julgamento, polícia, Rio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.