Jornal do Brasil

Sábado, 26 de Julho de 2014

Rio

Morro da Providência sedia 1º evento global Startup Weekend em uma favela

Agência Brasil

O Morro da Providência, primeira favela do Rio de Janeiro, localizada no Centro da capital fluminense, será também a primeira comunidade da cidade no mundo a sediar  um Startup Weekend Favela.  O evento ocorrerá entre os dias 28 e 30 deste mês no Instituto Central do Povo, localizado naquela  comunidade, em parceria com  o Comitê para a Democratização da Informática (CDI).

O Startup Weekend é uma rede global de líderes e empreendedores cuja missão é  inspirar e capacitar indivíduos, equipes e comunidades  para que suas ideias possam se transformar em negócios capazes de receber investimentos. Mais de 600 empresas foram criadas a partir de ideias que surgiram  nos Startup Weekends feitos em mais de 119 países.

O criador do  CDI, organização não governamental fundada em 1995 e que utiliza a informática como ferramenta  para o desenvolvimento social e da cidadania,  Rodrigo Baggio,  disse hoje (14) à Agência Brasil que esta será a primeira vez que o Startup Weekend será feito com uma visão de negócio social.

“O Startup Weekend é uma iniciativa  que existe em mais de 100 países para inspirar pessoas para serem empreendedoras e criarem as suas startups [empresas].  Muito da motivação das pessoas que vão ao evento é criar uma nova empresa, para ser o novo Google, o novo Facebook”. A primeira edição do Startup Weekend Favela atende a  uma sugestão feita pelo próprio CDI à rede Startup Global com o objetivo de resolver problemas sociais. O CDI está completando este mês 19 anos de funcionamento,  nos quais promoveu a  capacitação  de mais de 1,54 milhão de pessoas em 13 países, com  780 espaços abertos de inclusão digital.

Baggio destacou que a proposta virou uma grande inovação e passou a ser considerada uma iniciativa histórica. “Para a gente, é uma grande honra fazer o Startup Weekend Favela no mês de aniversário do CDI, porque  a gente quer inspirar e dar exemplo para as pessoas serem tecativistas, tectransformadoras. Para as pessoas perceberem que mais que  usar a tecnologia para ganhar dinheiro e gerar empregos, elas podem usar tecnologia para criar causas e movimentos e fazer com que elas evoluam  para empreendimentos e negócios sociais”.

Mário Chagas, coordenador do espaço CDI Comunidade no Morro da  Providência, ressaltou hoje (14) a importância do 1º Startup Weekend dentro de uma favela. “É importante porque a comunidade vai ter uma experiência ímpar em relação aos problemas  que são comuns a várias comunidades, como a questão do lixo e a questão dos eventos culturais. Tudo isso faz com que as pessoas tenham a oportunidade de expor as suas ideias e  que essas ideias sejam ouvidas por pessoas capacitadas para solucioná-las. A gente fica na expectativa que isso, realmente,  vai ser um  marco dentro do projeto de comunidade”, declarou.

Chagas enfatizou a necessidade de divulgação do evento para que os  moradores do morro possam participar de forma mais ativa. “Tem sido aquele trabalho mais 'boca a boca'”, disse. Os principais temas que afligem os moradores da Providência foram identificados, em uma consulta prévia, e são: educação, destino do lixo, geração de renda e cultura e lazer.

O coordenador acredita que  as soluções que forem apontadas vão colaborar  para que possam ocorrer algumas mudanças, estimulando o empreendedorismo, que já é bem comum dentro das comunidades, além de favorecer um maior entrosamento no âmbito social.  O Instituto Central do Povo completa  108 anos em 2014. Ele funciona como referência da comunidade nas áreas  social, de educação e de saúde, disse Mário Chagas. No local, funcionou o primeiro posto de saúde do Rio de Janeiro, cuja inauguração teve a presença do sanitarista Oswaldo Cruz e foi sede da primeira escola de datilografia voltada  para uma comunidade de baixa renda. Desde 1998, o instituto abriga o espaço do CDI Comunidade, um dos projetos que funcionam no local.

Rodrigo Baggio informou que desde novembro do ano passado a ONG trabalha com dez lideranças  comunitárias de favelas do Rio de Janeiro para alinhar e priorizar os principais problemas comuns a todas. A meta, no Morro da Providência,  é  apresentar os problemas selecionados para que os desenvolvedores de tecnologias, designers, líderes sociais e empreendedores, inclusive da própria comunidade, que participarão do 1º Startup Wekend Favela, possam “criar ideias, usando tecnologias emergentes  que possam impactar positivamente esses problemas”. No final das 54 horas do evento serão apresentadas as ideias das 15 equipes que serão formadas.

Como há um limite de 120 vagas para os interessados em participar das equipes, Baggio explicou que as inscrições podem ser feitas a partir de hoje no endereço www.riofavela.startupweekend.org.  Trinta líderes sociais integrarão também as equipes.

Tags: Centro, evento, favela, fim semana, Rio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.