Jornal do Brasil

Domingo, 23 de Novembro de 2014

Rio

Oficial de justiça vai percorrer gerências da Comlurb

Ordem da Justiça é garantir segurança dos garis que não aderiram à greve

Agência Brasil

Um oficial de justiça vai percorrer gerências de operações da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) para garantir o acesso e a segurança dos trabalhadores que não aderirem à greve dos garis, informou nesta quarta (5) a direção da empresa.

As diligências, que poderão ter acompanhamento de força policial, foram determinadas pelo desembargador federal do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região, José da Fonseca Martins Júnior, que emitiu um mandado de intimação, segundo a Comlurb, baseado em casos de agressões relatadas por profissionais que não aderiram ao movimento.

>> RJ: Justiça ordena proteção a garis que voltarem ao trabalho

>> Quarta-feira de Cinzas e de lixo. Greve dos garis continua no Rio

>> Juristas consideram arbitrárias as demissões de garis grevistas

>> 'Queremos varrer o prefeito da cidade', dizem garis em greve

>> Carnaval: garis em greve fazem novo protesto e lixo se acumula nas ruas

>> Garis entram em confronto com Polícia Militar durante manifestação no Rio

Segundo a Comlurb, trabalhadores que voltaram aos seus postos têm sido constrangidos e pressionados a não saírem das gerências operacionais do órgão.

O mesmo mandado aumenta a multa diária de R$ 25 mil para R$ 50 mil caso a greve continue, a ser paga pelo Sindicato dos Empregados de Empresas de Asseio e Conservação do Município do Rio. O sindicato, no entanto, não está à frente da greve. O movimento foi deflagrado por trabalhadores que não concordam com o acordo firmado pelos representantes do sindicato e a companhia.

Tags: Limpeza, lixo, paralisação, Rio, ruas

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.