Jornal do Brasil

Domingo, 26 de Outubro de 2014

Rio

Chegada à Sapucaí é tranquila para os desfiles do Grupo Especial

Portal Terra

Já estão abertos os portões do Sambódromo do Rio de Janeiro para a primeira noite de desfiles das escolas de samba do grupo especial a partir das 21h. A chegada à Marquês de Sapucaí é tranquila para quem opta pelo transporte coletivo, no caso, o metrô. Apesar de um pouco de lentidão, com paradas mais extensas em algumas estações, a reportagem do Terra levou não mais do que 30 minutos vindo da zona sul da capital fluminense.

Apenas carros credenciados podem circular pelo perímetro estabelecido pela Prefeitura do Rio. Táxis podem chegar aos pontos no setor par e ímpar até as 22h. A movimentação de cambistas é intensa nas cercanias do Sambódromo, assim como o trabalho de ambulantes na tentativa de vender almofadas a R$ 5 para os espectadores assistirem aos desfiles com um pouco mais de conforto nas arquibancadas. Alguns turistas estrangeiros têm dificuldade para achar o local exato de concentração para os desfiles. Não há placas com orientações em inglês.

Terra presenciou a cena em que turistas da Coréia do Sul, fantasiados, estavam perdidos na tentativa de saber para qual local deveriam se dirigir. Ajudados pela reportagem, eles tomaram o rumo do primeiro desfile pela Império da Tijuca, que abre a noite de desfiles às 21h. Campeão do grupo de acesso do ano passado, a agremiação da zona norte vem para a avenida com o samba enredo "Batuk", sobre as raízes da batucada brasileira.

Na sequência, às 22h05, será a vez da Grande Rio. Notória por trazer muitas beldades e artistas em seu desfile, como a rainha de bateria e atriz Christiane Torloni, a escola de Duque de Caxias contará a história dos 200 anos da cidade de Maricá, onde morou a cantora Maysa.

Entre 23h10 e 23h30, a São Clemente invade a Sapucaí com o enredo "Favela", no qual contará sobre a Guerra de Canudos e o morro da Providência, a primeira favela a surgir no Rio de Janeiro justamente com dissidentes da terra de Antônio Conselheiro. Logo depois, com Rosa Magalhães como a nova carnavalesca, a Mangueira entra na avenida para abordar as festas populares brasileiras.

Pelo sexto ano seguido com Viviane Araújo como rainha de bateria, o Salgueiro desfila na sequência com um enredo que contará sobre os elementos fundamentais  da vida: água, terra, fogo e ar. Por fim, a Beija-Flor chega à Sapucaí para trazer a história de vida Boni, um dos maiores comunicadores da TV brasileira, e ex-diretor geral da Globo.

Tags: desfiles, escolas, passarela, Rio, samba

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.