Jornal do Brasil

Sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

Rio

Rio sem Homofobia faz ação educativa em Ipanema

Jornal do Brasil

Cerca de 500 guarda-sóis do programa estadual "Rio sem Homofobia" foram distribuídos na Praia de Ipanema, na altura do Posto 9, na manhã deste sábado de Carnaval (01/03). Esse foi o segundo dia da campanha educativa, que começou na sexta-feira (28/02) e tem como objetivo divulgar o número do disque denúncia e difundir os direitos da população LGBT, combatendo a homofobia nos dias de festa. 

Após Ipanema, a equipe da Superintendência de Direitos, Individuais, Coletivos e Difusos, da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SuperDir/SEASDH) foi para Copacabana e Flamengo. Até a Quarta-feira de Cinzas serão entregues mil guarda-sóis.

A iniciativa faz parte da campanha "Carnaval com Direitos 2014", que conta com uma equipe de 35 pessoas, entre psicólogos e advogados, de plantão no Centro de Cidadania LGBT até o dia 9 de março. O Disque Cidadania LGBT (0800 023 4567) também funcionará normalmente, durante 24h, para atender qualquer tipo de ocorrência.

"Este ano resolvemos inovar no quesito estratégia visual: distribuímos os guarda-sóis a barraqueiros, cerca de 10 em Ipanema, e ambulantes cadastrados para que haja uma propaganda espontânea em diversos lugares. Precisamos estimular a solidariedade das pessoas, já que ainda há muita apatia. Uma cultura de paz e um carnaval seguro devem ser a causa de todo mundo", explicou o superintendente e coordenador do Rio sem Homofobia, Cláudio Nascimento.

De acordo com o barraqueiro Nelio Santana, de 38 anos, mas 17 de Ipanema, o preconceito não pode existir, porque são todos seres humanos. "Achei e ideia super bacana, eu apoio! Sou pai de família, tenho filhos, mas já sofri preconceito por montar minha barraca em Ipanema, assim como também já ajudei dois americanos que estavam apanhando só por serem um casal. Essas pessoas têm que acordar pra vida porque isso não tem nada a ver. Ensino os meus filhos a não terem preconceito com nada nem ninguém", afirmou.

Tags: barracas, campanha, homofobia, praias, Rio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.