Jornal do Brasil

Sexta-feira, 25 de Julho de 2014

Rio

Carnaval no Rio: engarrafamentos, passageiros estressados e trânsito confuso

Desde a noite de sexta os ônibus de viagem estão saindo com atraso por causa dos congestionamentos

Jornal do Brasil

Desde a noite desta sexta-feira (28/1) um grande engarrafamento no entorno da Rodoviária Novo Rio, na Zona Portuária do Rio de Janeiro, causa atrasos de até duas horas nas partidas dos ônibus de viagem. O trânsito na Via Binário e nas principais ruas do Centro praticamente parou neste sábado (1/3), após as interdições feitas pela prefeitura para o esquema especial do Carnaval 2014. Durante a madrugada deste sábado até às 15h a descida da Ponte Rio-Niterói e a Avenida Brasil ficaram totalmente paradas e os passageiros desciam dos coletivos na altura do Caju e caminhavam a pé em direção a rodoviária. No feriado de Carnaval cerca de meio milhão de passageiros vão passar pela Novo Rio e as empresas colocarão em serviço 12600 ônibus, sendo 5 mil extras.       

De acordo com a assessoria de imprensa do terminal, a sexta-feira (28) foi o dia de maior movimento, com 57 mil pessoas saindo e 31 mil chegando ao Rio de Janeiro, em 1680 coletivos. No sábado (1), são esperados 47 mil passageiros chegando e 18 mil vão deixar a cidade. A maioria dos passageiros reclama da demora dos ônibus que estão presos nos engarrafamentos nas ruas perto do terminal e como consequência têm os seus horários de partida alterados. Viagens que estavam marcadas para a noite de sexta só tiveram o seu embarque no sábado de manhã. A situação ainda é a mesma na tarde deste sábado. Algumas pessoas revoltadas com os atrasos protestaram nas plataformas lotadas e houve um princípio de tumulto, logo controlado pelos agentes de segurança do terminal. O longo tempo de espera levou muitos passageiros a sentarem no chão da rodoviária durante a madrugada, alguns chegaram a dormir usando as malas como travesseiro. 

Passageiros reclamam dos atrasos dos ônibus de viagem, na Rodoviária Novo Rio
Passageiros reclamam dos atrasos dos ônibus de viagem, na Rodoviária Novo Rio

O aposentado Rogério Villa Real, de 60 anos, desceu do seu ônibus que vinha de Santos nas proximidades da Rodoviária Novo Rio. "Apesar do risco, o motorista liberou a gente antes de chegar ao terminal. Ele abriu o bagageiro e todo mundo pegou as suas malas e fomos caminhando juntos até a rodoviária, um trecho grande, mas ninguém mais aguentava ficar no engarrafamento", contou ele. Rogério, que esteve no Rio há alguns anos atrás, se surpreendeu com os congestionamentos e a falta de preparo dos funcionários do terminal e da prefeitura. "Ninguém sabe dar uma informação precisa, seja no terminal ou na rua. Tá tudo mundo confuso e o turista fica ainda mais inseguro", disse o aposentado. 

Os ônibus da empresa 1001 com destino às cidades da Região dos Lagos, rota mais acessada durante o carnaval, são os que estão deixando o terminal com maior atraso. Após quase um mês de trânsito caótico na cidade por conta do novo sistema de mobilidade implantado pela prefeitura, como parte do projeto Porto Maravilha, o carioca e os turistas que chegam ao Rio enfrentam mais um dia complicado e de muito estresse nas principais vias do Centro e da Zona Portuária. Com o excesso de veículos em função do feriado, a situação piorou. A CCR Ponte informou que o tempo de travessia na Ponte Rio-Niterói na manhã deste sábado foi de 90 minutos e a Linha Vermelha ficou parada em toda a sua extensão, com reflexos na Linha Amarela e Presidente Dutra. 

O técnico de enfermagem Flávio Monteiro, de 33 anos, embarcou no terminal Tietê, em São Paulo, às 5h e sua estimativa de chegada ao Rio era para às 11h. No entanto, Flávio desceu do ônibus na Novo Rio somente às 13h30. "Logo que chegamos ao Rio o trânsito parou. Pegamos congestionamento na Dutra, na Avenida Brasil e, principalmente aqui perto da rodoviária. Ficamos muito tempo parados", disse o técnico de enfermagem, que veio ao Rio passar o carnaval. 

A situação na Avenida Brasil não foi diferente. A via registrou congestionamento e retenções em vários trechos, principalmente na chegada ao Caju até a rodoviária Novo Rio. Um carro alegórico do mais tradicional bloco de rua da cidade, o Cordão da Bola Preta, ficou preso no engarrafamento e atrasou o desfile pelo Centro do Rio. Já na estrada BR-101, que liga o Rio ao Espírito Santo, houve retenção do km 322 ao 293, entre Niterói e Itaboraí, além de lentidão entre o trecho entre Itaboraí e Rio Bonito, segundo a Autopista Fluminense.

Segundo a concessionária, foram registrados 61 quilômetros de retenção na Niterói-Manilha, na tarde deste sábado. A CCR Barcas informou que até às 12h realizou quatro viagens extras, transportando mais de 16 mil passageiros no trecho entre a Praça Arariboia, em Niterói, a Praça Quinze, no Rio. O maior volume de passageiro foi em função do desfile do Cordão da Bola Preta.

Consórcio Novo Rio afirma que atrasos são em função do caos na cidade

No final da tarde deste sábado (1o.), a prefeitura do Rio informou que vai multar o Consórcio Novo Rio por causa dos atrasos na saída dos ônibus de viagem e pela fila dupla de coletivo que se formou na frente do terminal, desde a noite de sexta (28). O valor da multa ainda não foi calculado, mas será referente a todos os dias do carnaval em que as vias da região ficarem obstruídas. A assessoria de comunicação do Consórcio Novo Rio emitiu uma nota afirmando que o plano de contingência elaborado em conjunto com a Secretaria Municipal de Transportes (SMTR) foi cumprido integralmente e justificando que a fila de ônibus foi formada no local pré definido nas reuniões.

"A faixa seletiva na Rodrigues Alves, dedicada exclusivamente aos ônibus rodoviários e estacionamento técnico na Rua Pedro II e em trecho no final da Rodrigues Alves", destacou a nota do consórcio se referindo aos locais determinados para a formação da fila de coletivos. O comunicado ressalta ainda que a operação de ônibus da rodoviária não foi responsável pelo impacto no trânsito naquela região - "que, por outro lado, foi prejudicado sim pelos bloqueios do Binário e ruas próximas para passagem de carros alegóricos, manifestações frequentes na Francisco Bicalho, bloqueios nos acessos ao Centro do Rio, além de congestionamentos de mais de uma hora e meia na travessia da Ponte", destaca o texto.

Segundo a Ascom, o Consórcio Novo Rio não responde por falhas nas operações das empresas de ônibus e a sua atuação se restringe ao terminal e suas instalações. "Cabe as empresas a responsabilidade pelas falhas em operações e aos órgãos fiscalizadores (Detro ou Antt) o acionamento das mesmas. Os atrasos de sexta e de hoje ocorreram nos embarques para a Região dos Lagos", diz o comunicado. 

Tags: atrasadas, coletivos, feriado, rio-niteroi, rodoviária, viagens

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.