Jornal do Brasil

Sábado, 23 de Agosto de 2014

Rio

Três instituições vão matricular alunos da UniverCidade e da Gama Filho

Portal Terra

A partir desta quarta-feira mais de 12 mil alunos da Universidade Gama Filho (UGF) e do Centro Universitário da Cidade (UniverCidade), instituições de ensino superior do Rio de Janeiro que foram descredenciadas pelo Ministério da Educação (MEC)  em janeiro, já podem se matricular nas faculdades Estácio de Sá, Veiga de Almeida e Senac RJ, escolhidas pelo governo federal para receberem os estudantes por meio de transferência assistida. Os alunos têm até 14 de março para entregar documentos e cursar o primeiro semestre de 2014. As datas valem para os estudantes de quase todos os cursos – a exceção é para Medicina, curso que abrange 2 mil alunos.

Segundo o Consórcio Rio Universitário – composto por Estácio de Sá, Veiga de Almeida e Senac RJ – quem se inscrever após 14 de março começará a ter aulas no segundo semestre do ano. A medida foi tomada porque as aulas das instituições de ensino já começaram e o semestre tem menos dias úteis de aula, devido a um longo feriado em abril e à Copa do Mundo.

Os alunos da UGF e da UniverCidade não são obrigados a se transferir em uma das faculdades do consórcio. Mas quem optar pela transferência se beneficiará de um esquema de adaptação montado pelo consórcio. Dependendo do curso, os alunos serão integrados a turmas já em andamento e podem começar a assistir aula imediatamente após a efetivação da matrícula. Já aqueles que forem colocados em turmas novas especiais para os alunos da UGF e da UniverCidade iniciam as aulas em 10 de março.

“A ideia é aproveitar o máximo a grade curricular cursada pelos alunos nas universidades descredenciadas. Se não for possível, faremos aulas extras nos finais de semana, para que a gente conseguia manter a expectativa de formatura do alunos, de modo que eles se formem no mesmo ano em que se formariam caso continuassem nas instituições de origem”, explicou Eduardo Diniz, diretor do Senac RJ.

Segundo o presidente da Estácio de Sá, Rogério Melzi, as instituições do consórcio se comprometem a cobrar dos alunos  que optarem pela transferência assistida os mesmos valores de mensalidade que eram cobradas pela UniverCidade e pela UGF. “Também vamos manter a mesma política de descontos a que eles estavam sujeitos, além de aproveitar 100% das bolsas cedidas pelas descredenciadas e manter as bolsas do FIES”, disse Melzi.

Tags: crise, educação, gama, Rio, universidades

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.