Jornal do Brasil

Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Rio

Meu Rio promove atos cívicos em luto pela Baía de Guananabara

Verão do Saneamento esteve no Iate Clube e prepara carnaval na Rocinha para o próximo sábado

Jornal do Brasil

Voluntários da Rede Meu Rio prepararam dois atos para chamar a atenção dos moradores e turistas do Rio para o saneamento oferecido na cidade, e seus efeitos na vida de todos, independente da classe social. Eles fazem parte do projeto "Verão do Saneamento". No primeiro, realizado neste domingo (16/02), donos de mais de 80 embarcações navegaram pela poluída Baía de Guanabara. No segundo, programado para o próximo sábado, a Rocinha terá um pré-carnaval para chamar atenção para o histórico abandono do saneamento nas favelas. 

A cidade, reforça a rede, possui índices de oferta de água, coleta e tratamento de esgoto incompatíveis com as necessidades da população. "Não importa se você é pobre ou rico, a questão do saneamento extrapola as fronteiras sociais. Este é um dos problemas mais transversais do Rio de Janeiro", afirma Leona Deckelbaum, coordenadora de mobilizações da equipe da Rede Meu Rio.

Revoada do Saneamento foi realizado neste domingo no Iate Clube do Rio de Janeiro
Revoada do Saneamento foi realizado neste domingo no Iate Clube do Rio de Janeiro

A "Revoada do Saneamento" foi promovida neste domingo (16/02), às 11h, no Iate Clube do Rio de Janeiro. Mais de 80 embarcações, desde pequenos caiaques a veleiros de 50 pés, participaram do ato de luto pela Baía de Guanabara. Capitães náuticos carregavam faixas e adereços negros amarrados nas embarcações. 

Em uma das embarcações, o biólogo Mário Moscatelli utilizou um megafone: “A Baía não é lata de lixo. A Baéa de Guanabara é nossa. Chega de lixo, chega de esgoto. Chega de enrolação. Chega de projeto que não dá em nada”, disse.

Para o americano Lenny que mora no Rio há 10 anos, os governantes têm que tomar providências. Ele estava caminhando na orla e fez questão de colocar, no braço, a fita preta que estava sendo distribuída pela Meu Rio, em frente ao Monumento Estácio de Sá. “Quero as coisas mais limpas. Tem pouca coisa feita. Quem tem que se manifestar são os governantes. Não pode ser uma voz no vento.”

No próximo sábado (22/02), será a vez da Favela da Rocinha receber um pré-carnaval irreverente, para chamar atenção para o histórico abandono do saneamento nas favelas do Rio. Com fantasias, marchinhas e alegorias, a mobilização pede a divulgação de um cronograma detalhado de implementação de saneamento. Os moradores exigem que a maior parte dos investimentos do PAC 2 vá para essas obras e não para o prometido teleférico, já apelidado de "Telefante". Eles vão se fantasiar com papel higiênico e sair pelas ruas, e um esqueleto sentado sobre um vaso sanitário representará a longa espera da comunidade por saneamento básico.

Desde o fim do ano passado, atos cívicos, pacíficos e criativos vêm sendo realizados. No "Bacteriato", por exemplo, vasos sanitários foram levados às areias de Ipanema para chamar a atenção de banhistas para a poluição das praias. 

Participam da organização da revoada o Instituto Trata Brasil, o Iate Clube do Rio de Janeiro e o Clube Guanabara. Na Rocinha, a organização conta com parcerias do Rocinha Sem Fronteiras, SOS Rocinha e Associação de Moradores do Laboriaux.

*Com informações da Agência Brasil

Tags: iate, Rio, rocinha, saneamento, verão

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.