Jornal do Brasil

Sexta-feira, 28 de Novembro de 2014

Rio

Cinegrafistas protestam por segurança e melhores condições de trabalho

Portal Terra

Cinegrafistas de diferentes meios de comunicação depositaram suas câmeras e microfones no chão em frente à 17ª Delegacia de Polícia do Rio de Janeiro em protesto por segurança e melhores condições de trabalho.

O ato ocorreu um dia depois da morte cerebral do repórter cinematográfico Santiago Andrade, da Rede Bandeirantes, atingido na cabeça por um rojão enquanto cobria um protesto contra o aumento do preço da passagem do transporte público na capital carioca. Os jornalistas também exibiram cartazes em reivindicação por melhores condições de trabalho.

Profissionais fizeram ato de protesto no Rio
Profissionais fizeram ato de protesto no Rio

A 17ª DP (São Cristóvão) está à frente da investigação do assassinato de Santiago Andrade. Sua morte é o mais grave entre os mais de 100 episódios de agressão contra jornalistas desde o início da onda de manifestações populares no Brasil, em 2013.

Na tarde de hoje, a ativista Elisa Quadros, conhecida como Sininho, chegou à delegacia para depor. Mais cedo, a polícia divulgou uma foto de Caio Silva de Souza, suspeito de acender o rojão que matou o cinegrafista da Bandeirantes. Ele é procurado pelas autoridades.

Tags: acusado, band, cinegrafista, morte, rojão

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.