Jornal do Brasil

Terça-feira, 25 de Novembro de 2014

Rio

Ativista Sininho diz que não conhecia suspeito de lançar rojão

Jornal do Brasil

Após prestar depoimento na 17ª DP (São Cristóvão), na Zona Norte do Rio, na tarde desta terça-feira (11), a ativista Elisa Quadros, conhecida como Sininho, disse que não conhecia Caio Silva de Souza, de 23 anos, suspeito de lançar o rojão que atingiu o repórter cinematográfico Santiago Andrade, da TV Bandeirantes, durante protesto no Centro do Rio na quinta-feira (6). O cinegrafista teve a morte cerebral confirmada nesta segunda (10). "Eu não conheço o Caio. Nunca o vi nas manifestações", disse Sininho. 

Ativista Elisa Quadros prestou depoimento na delegacia de São Cristóvão
Ativista Elisa Quadros prestou depoimento na delegacia de São Cristóvão

A ativista teria ligado para o deputado estadual Marcelo Freixo (Psol-RJ) para pedir ajuda ao tatuador Fábio Raposo, suspeito de participação na explosão do rojão que atingiu o cinegrafista. Segundo o próprio Freixo, Sininho tinha medo de que o tatuador fosse torturado na prisão.

No domingo, o estagiário do advogado Jonas Tadeu, que representa Raposo, afirmou que recebeu ligações de Sininho afirmando que o suspeito que acendeu o rojão era ligado a Freixo. A polícia colheu o depoimento do estagiário e fez um termo de declaração.

Houve tumulto na porta da delegacia
Houve tumulto na porta da delegacia

Caio teve o mandado de prisão expedido pela Justiça do Rio na segunda-feira (10) e é considerado foragido, já que não foi localizado em seus endereços. 

Tags: acusado, band, cinegrafista, morte, rojão

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.