Jornal do Brasil

Quarta-feira, 23 de Abril de 2014

Rio

O novo cardeal, uma alegria para todos

O arcebispo sempre próximo da juventude

Jornal do BrasilAline Barbosa Almeida*

Com o lema “Para que todos sejam um”, Dom Orani assumiu uma grande missão como arcebispo do Rio de Janeiro em 2009, o que chamou muito minha atenção, com um olhar de um novo tempo que surgia na Igreja do Rio de Janeiro, na perspectiva da unidade na diversidade.

Receber a noticia da nomeação cardinalícia de Dom Orani foi de grande alegria pra mim, tendo em vista o seu grande empenho e amor, em especial a humildade e proximidade com a juventude. Já esperava essa noticia, bem brevemente.

Aline e Dom Orani
Aline e Dom Orani

Uma de suas características mais marcantes, pra mim, foi sua abertura ao dialogo com outras religiões, e o respeito à diversidade que há em nossa arquidiocese. O que fortaleceu minha certeza é que podemos aprender com as diferenças, e sem o dialogo e respeito não é possível sermos parecidos com Jesus, ao levar sua mensagem de amor. E isso foi uma das coisas que me motivou ainda mais com o serviço pastoral, o qual eu desempenhava e ainda desempenho, e que por muitas vezes se enfraqueceu devido a uma realidade local muito complicada pelos conceitos conservadores e intolerantes. Dom Orani me trouxe um novo ânimo, e como pude aprender sobre a busca por uma Igreja mais unida e mais coerente diante dos conflitos eclesiais, sociais e políticos, que muitas vezes nos fazem querer desistir da missão. Na proximidade com ele, em reuniões, encontros, eventos, que muito mais além das suas falas, pude dar e receber. Do olhar paterno e acolhedor de nosso arcebispo, eu me reconheci ainda mais como da Igreja Jovem.

 Me admira a sua intensidade nos discursos voltados para a juventude, que nos leva a refletir sobre o protagonismo juvenil e também suscita nossa criatividade nas ações  voltadas para a importância e divulgação do Evangelho. Lembro de sua motivação no trabalho com a juventude, o qual eu participei desde sua chegada ao Rio de Janeiro. Presenciei a sua postura simples nas reuniões, mas ao mesmo tempo cativante e forte, firme sem ser autoritário, sua serenidade e linguagem clara que nos envolvia, sem criar barreiras entre juventude e Clero.

O que mais me marca na pessoa de Dom Orani, é sua disponibilidade em ir aonde muitos não foram. Quantos lugares nesse grande Rio de Janeiro ele levou não só seu discurso motivador e coerente com a realidade, mas também a esperança e presença marcante da Igreja, que não se esquece do pobre? Em quantas comunidades a imagem de São Sebastião passou levando a certeza de que Cristo vem para todos e em qualquer situação? E como não esquecer de sua grande e extenuante missão na preparação da JMJ Rio? Eu me questionava sobre como era possível Dom Orani poder estar em vários lugares ao mesmo tempo? Era isso que parecia, e em todos os lugares a sua fala era de tanta motivação, que mesmo diante de dificuldades, ele mostrava que unindo nossas mãos poderíamos fazer tudo da melhor forma possível!

 Lembro-me também da 1° reunião que fui representando a Pastoral da Juventude do Rio, que compareci com muito nervosismo e ansiedade. Fui me preparando para usar as palavras mais bonitas, mas ao chegar à reunião e bem atrasada fui surpreendida com uma brincadeira de sua parte que me fez se sentir em casa. De tudo que vivenciei naquele dia, o que mais me impressionou foi a sua simplicidade, sua atenção em nos escutar e a disposição em contribuir com o trabalho da Juventude.

Tenho muito mais a escrever sobre esta pessoa, que tanto admiro, não só por ter sido referencia como meu Arcebispo, mas também por ter vivenciado momentos de tanta riqueza de alma que ele me trouxe. Espero que nesta nova missão, Deus lhe conceda a força necessária para estar de pé, lhe orientando sempre para as causas dos mais pobres, do amor pela juventude e jamais esquecendo dos valores evangélicos. Neste tempo de transformações em que nossa Igreja passa, na esperança do Reino de paz e justiça e na perspectiva de uma Igreja que faça-nos sairmos de nós mesmos e ir ao encontro do outro, cito Francisco:"Exprime-se a absoluta prioridade da saída de si próprio para o irmão".

Obrigada Dom Orani por ser parte da minha caminhada de fé, da minha juventude esperançosa e por ter contribuído com meu crescimento pastoral, e meu amor e disposição para ajudar na construção da civilização do amor.

*Aline Barbosa Almeida compõe a Assessoria Arquidiocesana da Pastoral da Juventude do Rio de Janeiro além de ser da Coordenação Regional da Pastoral da Juventude Leste 1. Faz parte do CEMAL (Comissão de Entidades e Movimentos Arquidiocesanos de Leigos) e é Secretária executiva do Jirj (Juventude Inter-religiosa do Rio de Janeiro)

Tags: caminhada, da minha, de fé, dom orani, obrigada, por, ser parte

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.