Jornal do Brasil

Domingo, 20 de Abril de 2014

Rio

Moradores de Duque de Caxias reclamam de atraso na entrega de moradias

Agência Brasil

Moradores de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, voltaram a lembrar hoje (6) que continuam paradas as obras de conclusão dos apartamentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), na Vila Ideal. Durante evento com o governador Sérgio Cabral e o prefeito Alexandre Cardoso, eles estenderam uma faixa advertindo que a obra começou em 2009 e questionaram o atraso.

Antes de ser abordado de maneira truculenta por policiais militares sem identificação, José Fernando Martins reclamou que está há quatro anos vivendo do aluguel social, por ter tido a casa desapropriada para dar lugar ao empreendimento. “O problema é que eles atrasam o pagamento e sempre ficamos no desespero. Queremos ou nossas casas ou os novos apartamentos”.

Segundo os antigos moradores de Vila Ideal, atrasos no aluguel social são frequentes e não há decisão dos governos para concluir os prédios. Eles contam que a prefeitura havia se comprometido com uma força-tarefa no fim de 2013, mas nada avançou de lá para cá. No terrenos, os prédios do PAC são um oásis em meio a casas demolidas ou abandonadas.

“Veja só, está quase tudo pronto. Os apartamentos vão ficar uma gracinha, têm dois quartos, uma sala, cozinha e até essa varandinha”, disse Maria de Fátima de Souza, uma das moradoras que tiveram casas desapropriadas. Ela se diz frustrada por ter deixado a casa onde morava e estar vivendo, agora, sem previsão de ter residência própria ou de receber aluguel social. “Sinto-me um pouco humilhada”, confessou.

De todo o empreendimento, apenas um dos imóveis está com a construção adiantada, com a parte externa pintada de azul, mas sem obras de acabamento aparentes. Os demais, ainda no reboco, tiveram janelas quebradas por atos de vandalismo.“Como fica abandonado, o povo se indigna, joga pedra, quebraram quase todas as janelas”, disse o presidente da associação de moradores, Carlos Voley.

Em volta, as casas da comunidade foram ocupadas por usuários de drogas e por famílias que acabaram voltando para imóveis que haviam sido desapropriados para a urbanização local. “Comprei tudo de novo e me restabeleci. Não dá para depender de um dinheiro que não é certo”, contou Vera Lúcia Vital Oliveira. Ela mora com dois filhos, um de 2 e outro de 13 anos.

A assessoria do prefeito Alexandre Cardoso não informou sobre o andamento das obras do PAC em Vila Ideal e o Ministério das Cidades alegou que a responsabilidade é local. Sobre a abordagem de policiais militares à manifestantes, o sargento Aurélio Melo, responsável pela atuação no local, e que acompanhou de longe a situação, disse que vai apurar o ocorrido.

Tags: aceleração, baixada, casas, crescimento, programa

Compartilhe:

Comentários

1 comentário
  • Carla Siqueira

    As pessoas querem tudo de qualquer jeito! Não é só fazer as moradias e entregar, tem muito mais coisa antes disso.

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.