Jornal do Brasil

Terça-feira, 2 de Setembro de 2014

Rio

Justiça declara morte presumida do pedreiro Amarildo

Portal Terra

A Justiça do Rio declarou nesta terça-feira a morte presumida do ajudante de pedreiro Amarildo de Souza, desaparecido após ser levado para averiguação por policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha, no dia 14 de julho de 2013. 

Em agosto de 2013, a Justiça havia negado, em primeira instância, pedido semelhante feito pela defesa dos familiares de Amarildo. Com o reconhecimento da morte do ajudante de pedreiro, sua família pode agilizar a análise dos pedidos de indenização por conta de seu assassinato.

Caso Amarildo repercutiu no mundo
Caso Amarildo repercutiu no mundo

>> Caso Amarildo põe na berlinda a Segurança e projeto das UPPs no Rio

>> Ministério Público identifica PMs que torturaram Amarildo

>> PM do Rio afasta 15 policiais acusados de participar de tortura de Amarildo

O desaparecimento de Amarildo

Amarildo sumiu no dia 14 de julho do ano passado, após ser levado por policiais militares para a UPP, a fim de prestar esclarecimentos. O comandante da unidade, major Edson dos Santos, afirmou que o pedreiro deixou a base caminhando e depois não foi mais visto. 

O sumiço do pedreiro ganhou notoriedade depois de virar tema das manifestações de rua, no Rio e em outras capitais, com a frase "Cadê Amarildo?" estampada em faixas e cartazes.

Tags: ajudante, amarildo, PMs, rocinha, sumiço

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.