Jornal do Brasil

Quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

Rio

Cineasta Eduardo Coutinho é morto a facadas no Rio

Jornal do Brasil

O cineasta Eduardo Coutinho, 81 anos, foi morto a facadas na manhã deste domingo (2/2), no seu apartamento, localizado no Jardim Botânico, Zona Sul do Rio de Janeiro. A mulher do cineasta, Maria das Dores Coutinho, de 62 anos, também foi ferida com gravidade e está internada no Hospital Municipal Miguel Couto. O acusado do crime é o filho do casal, Daniel Coutinho, de 41 anos, que sofre de esquizofrenia e teria tentado suicídio. Ele também está internado sob custódia da polícia no Miguel Couto, com ferimentos leves.  

Segundo o delegado Rivaldo Barbosa, diretor da Divisão de Homicídios do Rio de Janeiro (DH), Daniel bateu na porta de um vizinho logo após cometer o crime. Barbosa acredita que Daniel tenha ficado no banheiro até a chegada dos bombeiros. O rapaz ainda abriu a porta para os bombeiros entrarem no apartamento. O delegado disse ainda que não há indícios de briga e a perícia deve ser concluída em 24 horas.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, Daniel Coutinho passou por uma cirurgia e está internado na unidade intermediária do hospital, seu quadro é estável. Ele levou duas facadas no abdômen. Maria das Dores levou dois golpes de faca nos seios, três no abdômen e apresenta uma lesão no fígado. Ela também passou por cirurgia e seu estado de saúde é gravíssimo. O corpo do cineasta foi levado para o Instituto Médico Legal (IML).

Eduardo Coutinho era um dos mais importantes documentaristas do país. Ele dirigiu os filmes "Cabra Marcado Para Morrer", "Edifício Master", "Jogo de Cena" e "As Canções".

Tags: cineasta, crime, esquizofrenia, Filho, polícia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.