Jornal do Brasil

Quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

Rio

Familiares de vítima de acidente com passarela interrompem Linha Amarela

Portal Terra

Um grupo de familiares do taxista que morreu após ter seu carro esmagado por uma passarela na Zona Norte do Rio de Janeiro na terça-feira fez uma carreata do cemitério em que o corpo de Alexandre Gonçalves de Almeida foi enterrado até o local do acidente, no começo da tarde desta quarta-feira. Ao menos 15 carros fecharam completamente a Linha Amarela no sentido Barra, na altura da passarela em Pilares, por cerca de meia hora.

Durante o protesto, moradores da comunidade vizinha à passarela quebraram a proteção acústica que os separa da pista e se uniram ao protesto, sendo dispersados pela polícia. A passarela caiu por volta das 9h15 desta terça-feira após ser atingida por um caminhão, deixando cinco mortos e quatro feridos.

À polícia, o motorista do caminhão, Luis Fernando da Costa, 33 anos, disse em depoimento informal que não sabia que estava com a caçamba levantada. Se confirmada a culpa, ele responderá por cinco homicídios culposos e três lesões corporais culposas - o quarto ferido é o próprio motorista -, quando não há a intenção de matar ou ferir.

Imagens divulgadas pelo Centro de Operações Rio mostram que a carreta se chocou com a passarela, que tem cerca de 4,5 metros de altura, porque estava com a caçamba levantada no momento do acidente, derrubando, assim, a estrutura de metal. O acidente ocorreu entre os acessos 4 e 5 da Linha Amarela, em Pilares, e interrompeu o trânsito da Linha Amarela, uma das principais vias de acesso ao centro do Rio, até o fim da tarde de terça-feira.

Tags: .expressa, acidente, mortos, Rio, via

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.