Jornal do Brasil

Domingo, 21 de Setembro de 2014

Rio

Into necessita de doadores de sangue

Agência Brasil

O Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) está precisando de sangue para atender as necessidades dos pacientes que são operados diariamente. Os estoques de sangue da unidade - referência em cirurgias ortopédicas de média e alta complexidade no país - estão baixos e prejudicam a realização de procedimentos de grande porte no joelho, quadril e coluna, os mais complexos. O hospital realiza por semana entre 40 e 50 cirurgias de grande porte, onde o paciente necessita tomar mais de uma bolsa de sangue.

O Into também realiza cirurgias infantis e pacientes que vêm de outras unidades de saúde do Rio, cujos hospitais não têm condições de realizar estes tipos de procedimentos cirúrgicos. O Hemocentro do Into necessita de doadores para aumentar o estoque de sangue na unidade.

O banco de sangue do Into ainda não é independente. O preparo do sangue vai para o Hemorio, onde os componentes do sangue são separados. As máquinas para fazer este procedimento já estão licitadas pelo Ministério da Saúde e este ano, o HemoInto está preparado para ter o seu banco de sangue totalmente independente. O diretor da Unidade Hospitalar do Into, Naasson Canavellas disse que a unidade de saúde já tem os seus próprios doadores, mas necessita aumentar este número devido a complexidade das cirurgias que são feitas no Hospital.

"Está faltando esta rotina de doador. Tem que criar essa cultura para que tenhamos sangue regularmente e com um número muito maior de voluntários", disse.

Canavellas explicou que o hospital troca as próteses de pacientes que já estão com o material desgastado. "As próteses têm um tempo útil de vida e algumas necessitam ser trocadas em 10, 15 anos e outras 20 anos depois da cirurgia. Além disso, o Into também faz mutirões de cirurgias de cada especialidade ortopédica durante o ano para reduzir a fila de espera".

O Into também realiza mutirões de cirurgias em outros estados. As equipes médicas saem do Rio, com todo equipamento e próteses necessárias. O governo local dá a infraestrutura e o centro cirúrgico para a realização das cirurgias. Esta estrutura do Into fica uma semana em cada estado para atender às necessidades desses pacientes.

O Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into), órgão do Ministério da Saúde é centro de referência no tratamento de doenças e traumas ortopédicos de média e alta complexidades. Segue uma trajetória inegável de avanços, comprovada pelos números e qualidade no atendimento de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) e pela estrutura que oferece. É posto de excelência na área de ortopedia, traumatologia e reabilitação do país.

As instalações do instituto abrangem uma área de 70 mil metros quadrados, com prédios construídos em um terreno anexo, de 15 mil metros quadrados. Ocupa o prédio do antigo Jornal do Brasil, na Avenida Brasil, 500, que faz parte da zona portuária da cidade. A área ambulatorial do Into conta com 38 salas de atendimentos para todas as especialidades ortopédicas, o que representa cerca de 305 mil consultas por ano.

O posto de coleta do Into funciona de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h. Para a doação, o voluntário deve apresentar um documento oficial de identidade com foto (original), ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 quilos e estar bem de saúde. Para a doação não é necessário estar em jejum. Recomenda-se apenas evitar a ingestão de alimentos gordurosos nas 4 horas que antecedem a doação e de álcool nas últimas 12 horas.

Tags: convocação, doação, Hospital, Rio, sangue

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.