Jornal do Brasil

Terça-feira, 2 de Setembro de 2014

Rio

Cedae afirma que problemas de abastecimento são pontuais 

Companhia tem orçamento previsto de R$ 5 bilhões para 2014

Jornal do Brasil

O forte calor, que atinge o Rio de Janeiro nos últimos dias, contribuiu para problemas de falta de água em várias regiões. As zonas Oeste e Norte são as que enfrentam os maiores problemas. Segundo a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), os problemas são pontuais. A Baixada Fluminense também tem casos isolados de ruas e casas sem água. A Cedae explica que os problemas ocorrem por conta do aumento do consumo durante o período mais quente do ano. Os vazamentos, ligações clandestinas e tubulações entupidas também agravam a situação. A companhia ainda afirma que soluciona os problemas no momento que recebe a notificação e que o usuário que ficar sem água durante todo o mês, mas que continua recebendo a conta, pode ter a cobrança cancelada.

O presidente da Cedae, Wagner Victer, afirmou em entrevista que a falta de água não atinge bairros inteiros e que o número de ocorrências desse ano é inferior às do ano passado. O abastecimento na Zona Oeste do Rio deve ser melhorado por conta dos cerca de R$ 200 milhões que estão sendo investidos pela empresa, para a construção de quatro reservatórios com capacidade para 30 milhões de litros. 

A novidade deve ser entregue em agosto de 2015 e beneficiará mais de 600 mil habitantes, principalmente dos bairros de Campo Grande, Bangu, Guaratiba, Pedra de Guaratiba, Barra de Guaratiba e Santíssimo. Além destes, está prevista a construção dos reservatórios do Outeiro e Jacarepaguá, que terão capacidade para 20 milhões de litros cada um, e ainda a reforma do Reservatório de Reunião.

Estado investe apenas 16,8% do previsto em saneamento 

Os problemas de saneamento básico no estado do Rio podem ser explicados pelos baixos investimentos por parte do governo do Estado. Em 2013, apenas 16,8%, o equivalente a R$ 127,6 milhões, dos R$ 759,4 milhões previstos pelo governo estadual foram gastos em obras de saneamento. O destino da verba não foi detalhado pela Secretaria de Obras de Cabral.

A despoluição da Baía de Guanabara e das lagoas de Jacarepaguá está ocorrendo em marcha lenta, o que expõe os problemas de gestão de saneamento do Rio. De acordo com relatório da Cedae de 2012, o desperdício de faturamento da companhia chega a 50%, o que significa um recebimento por apenas metade de sua produção.

Para tentar reverter a situação, a Cedae tem um orçamento previsto de R$ 5 bilhões para 2014 e os projetos de ampliação e modernização das redes de abastecimento já estão em andamento. Os projetos previstos para começar em 2014 já somam mais de R$ 2 bilhões.

Morte de menina em adutora é provocada por obra da Guaracamp

Uma obra da empresa Guaracamp causou o rompimento de uma adutora no dia 30 de julho, alagando pelo menos três quarteirões em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. O acidente causou a morte da menina Isabela Severo dos Santos, de três anos. Inúmeras residências foram alagadas e pessoas ficaram ilhadas. O dono da empresa de bebidas, Emílio Rodrigues Rios, mais outros dois engenheiros e o operador da retroescavadeira que atingiu a adutora foram indiciados pela morte da criança. O processo será pelos crimes de homicídio doloso, 14 lesões corporais, crimes ambientais e dano ao patrimônio.

A Cedae informou que todos os danos sofridos pelos moradores da área foram ressarcidos e os desabrigados receberam auxílio moradia e garantiu que, ao fim do inquérito, vai acionar a Guaracamp na Justiça pelo prejuízo sofrido.

Tags: abastecimento, água, cedae, esgoto, Rio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.