Jornal do Brasil

Terça-feira, 29 de Julho de 2014

Rio

MPF denuncia policiais que cobravam propina na rodovia Rio-Santos

Jornal do Brasil

O Ministério Público Federal (MPF) em Angra dos Reis (RJ) denunciou dez policiais rodoviários federais que cobravam propina para liberar veículos em situação irregular na rodovia Rio-Santos. Os acusados foram denunciados pelos crimes de advocacia administrativa, corrupção passiva, violação de sigilo funcional e formação de quadrilha. A denúncia foi recebida pela Justiça Federal no final do ano passado. As penas podem chegar, individualmente, a 12 anos de reclusão, sem contar possíveis causas de aumento. O MPF denunciou também dois particulares pelo crime de corrupção ativa. 

Ao todo, o MPF narra na denúncia 57 crimes cometidos pelos policiais, entre 2009 e 2011. Essa é a segunda denúncia apresentada contra os policiais, que atuavam na rodovia Rio-Santos, BR-101, nos postos de Itaguaí e Angra dos Reis. Os fatos chegaram ao MPF e à Polícia Federal através da denúncia de um caminhoneiro, que foi extorquido por dois policiais rodoviários federais. As investigações e escutas telefônicas comprovaram que os policiais se utilizavam do cargo para criar um esquema de liberação de veículos que trafegavam em situação irregular na rodovia. 

Além da cobrança de propina em troca de favores, as investigações revelaram que algumas pessoas eram previamente avisadas de operações policiais que seriam realizadas na BR-101, com intuito de que os veículos em situação irregular não trafegassem nos horários de fiscalização. Os policiais também utilizavam indevidamente seus cargos públicos para patrocinar interesses privados (crime de advocacia administrativa), intervindo junto a outros colegas de profissão.  

"As queixas realizadas por cidadãos, que sofrem as ameaças e extorsões, são fundamentais para a descoberta de crimes como estes, que muitas vezes ocorrem em completa clandestinidade em estradas brasileiras", disse a procuradora da República Monique Cheker.

 

Tags: Angra, Corrupção, federal, Ministério, PRF, público

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.