Jornal do Brasil

Quarta-feira, 16 de Abril de 2014

Rio

Homem suspeito de ter iniciado tiroteio em Copacabana segue internado

Inicialmente, a informação era de que ele havia morrido

Jornal do Brasil

Diferentemente do que foi noticiado inicialmente, Adilson Rufino da Silva, de 34 anos, suspeito de ter iniciado um tiroteio em Copacabana na noite de terça-feira (31), segue internado após ter sofrido várias lesões e ser operado. Seu estado é estável, segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde. Anteriormente, a informação era de que ele havia morrido. 

O tumulto aconteceu quando Adilson, que tentava enforcar sua mulher, foi abordado por um policial. Ele então roubou a arma do PM e começou a disparar tiros, provocando a reação de policiais. Além dele, mais oito pessoas ficaram feridas, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde.

Já segundo a Secretaria de Estado de Segurança, 12 pessoas foram atingidas. Entre eles, o comandante da 19ª BPM, tenente-coronel Ronal Langres Santana, um sargento de folga da Diretoria Geral de Pessoal (DGP) e um guarda municipal. Eles foram para o Hospital Central da Polícia Militar e o sargento segue internado, mas seu estado é estável.

Os outros atingidos foram levados para os hospitais Copa D'or, Hospital Municipal Miguel Couto, Hospital Municipal Souza Aguiar, Hospital Municipal Lourenço Jorge e a UPA de Copacabana. No Miguel Couto foram cinco encaminhados, incluindo Adilson. Renato Resse levou um tiro na perna e já foi liberado, Luci da Silva e Carolina Sales foram atingidas por estilhaços e também já foram liberadas e Maria Clara Freitas teve fraturas, foi operada e seu estado é estável. Os tiros ocorreram próximo à rua República do Peru. As armas foram recolhidas e a ocorrência foi registrada na 12ª DP.

As nove pessoas estão dentro dos números de atendimentos realizados nos cinco postos de saúde instalados ao longo de Copacabana para o Réveillon. No total, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, foram 889 atendimentos durante toda a noite sendo que 48 precisaram ser levadas ao hospital. O número de atendimentos foi menor do que em 2013, quando 1162 pessoas foram atendidas.

Tags: acidente, copacabana, Hospital, reveillon, tiroteio

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.