Jornal do Brasil

Sexta-feira, 25 de Abril de 2014

Rio

Árvore da Lagoa é programa de cariocas e turistas

Árvore flutuante atrai cada vez mais turistas

Jornal do Brasil

A Árvore de Natal da Lagoa Rodrigo de Freitas - a maior árvore de Natal flutuante do mundo, segundo o Guinness Book of Records - em sua 18a. edição, reúne milhares de pessoas diariamente. São cariocas e turistas, alguns motivados pela simples curiosidade pelo projeto de luzes em meio a lagoa, outros já fidelizados, que comparecem todos os anos e a consideram uma parte do Natal do Rio. O tema deste ano, "Uma celebração à vida", parece ter agradado ainda mais do que toda a tecnologia da edição de 2012. O JB esteve no local em uma quarta-feira de chuva, que não conseguiu atrapalhar o programa. Ele é o terceiro maior do calendário de eventos da cidade, atrás apenas do Réveillon e do Carnaval. Entre os presentes estavam pais e filhos, excursionistas de ônibus, turistas estrangeiros e de outras regiões do país, além dos casais e esportistas em toda orla.

A árvore apresenta diferentes momentos, inclusive com músicas natalinas em alguns deles, mas o que encantou a maioria dos entrevistados foi a representação da união familiar. Os colombianos Maria Fernanda e Frederico Aparício, que visitavam o árvore pela primeira vez, ressaltaram justamente os símbolos da união presentes na árvore, e também o potencial efetivo que a Árvore da Lagoa tem de reunir pessoas em seu entorno. "A árvore simboliza a união, lembra o motivo dela nas casas das pessoas, a coisa do Natal de reunir a família para compartilhar", comentou Aparício.

Uma família de Belém que visitava o Rio, e iria embora no dia seguinte, fez questão de aproveitar a última noite na cidade para visitar a "famosa árvore da Lagoa" que eles tanto ouviam falar na cidade deles. Debaixo de um guarda-chuva, Marli Santana e Vivaldo Reis Filho, com a filha Alessandra, contemplavam a árvore da orla. "Eu tinha de vir aqui para ver a árvore. E gostei. Além de ser bonita, é como um presente de Natal. É emocionante!", disse Marli ao JB.

Havia também os que já veem a árvore como um compromisso anual. Fátima Frizeiro, de São Cristóvão, leva seu filho Vinicius para a Lagoa nesta época desde o primeiro ano da árvore flutuante, em 1996. "Acho que árvore resgata a tradição do que o Natal representa. A árvore emociona e já é do Rio. Ano passado estava mais bonito, com o 3D, mas neste ano a ideia foi muito melhor, de união das pessoas. Principalmente em um ano que tivemos tantos episódios de violência, declararam." 

José Marinho e Lidia Maria saem todos os anos de Vila da Penha para conferir a árvore da Lagoa, que, para Lidia, "a cada ano está mais bonita". Ela ressaltou que o programa já virou uma tradição para o casal. "O Natal só fica completo se a gente comparecer aqui para ver a árvore. Todo mundo vem. As pessoas vêm de longe. Alguns contratam ônibus".

Para Vilma S., a árvore também tem tudo a ver com o Natal. Ela aproveitou para destacar a importância dela como lembrança do "nascimento do Senhor", e que ela funciona como um presente de Natal. Ela visitava a árvore pela primeira vez. Já sua amiga Verônica Camejo foi conferir o projeto pelo segundo ano, e ressaltou que o deste está muito melhor que o do anterior. Não deixou, contudo, de também ressaltar a importância da representação do Natal e do nascimento de Jesus.

Gracie Tramontini, moradora da Barra, e Sonia Seixas, do Recreio, destacaram a beleza da obra e o potencial contemplativo, "um presente para a cidade". "É muito lindo, reune as pessoas, é um símbolo do Natal, alegra os olhos e toca na gente", disse Sonia. Na ocasião, também estava presente um grupo de excursão que havia saído de Ramos, exclusiva para contemplação da Árvore da Lagoa. "Acabou virando uma tradição. É belo, sempre atraente. Entrou para o roteiro turístico de final de ano", comentou Fátima Santos. 

Para outros, no entanto, a árvore não tem tanto significado natalino, mas confirma seu potencial de atração turística. A chilena Olga Cornejos, que estava na Lagoa com o brasileiro Sandro Correia, disse considerar a árvore apenas como mais uma "atração da cidade". Gostou, no entanto, da música que tocou às 20h.

Outro casal que esteve presente, mas nem tanto pelo espírito natalino e mais pelo programa turístico, foram Nilce Andrade e Ancelmo Gois, de Jacarepaguá, que foram conferir o projeto de árvore flutuante pela primeira vez. "Vejo a árvore mais como uma arte que precisa ser vista do que como algo associado ao 'espírito natalino'", comentou Nilce. Ancelmo, que trabalha com projetos de luzes, ao ser questionado sobre o projeto da árvore, comentou que não se trata de nenhuma novidade, devido as variações de cor e imagem, mas que de qualquer forma a ideia é boa. "É um projeto simples, não é nada fantástico. Mas a ideia é legal, pelo tamanho e localização da árvore. Fiquei satisfeito, só queria ver mais de perto".

Nilce também elogiou a música que toca em alguns momentos. Larissa Soares, carioca que visitava a árvore pela primeira vez, depois de três anos em Natal (RN) trabalhando para a aeronáutica, também só lamentou que a música não toque mais vezes. "Achei lindo, podia badalar mais. Também gostei da imagem da família, que aparece o pai e a mãe e depois o filho, de mãos dadas". Guilherme Moura, que estava em Natal com Larissa, visitava a árvore pela quarta vez, e ressaltou o potencial da árvore de "tirar pessoas de dentro de suas casas para se reunir no entorno da Lagoa." 

No primeiro momento, a árvore busca enaltecer a vida nas Águas, o tom azul toma conta, surgem figuras de golfinhos, cavalos-marinhos, peixes e estrelas-do-mar. Depois, uma iluminação dégradé de cores quentes, remetendo ao céu no momento do pôr do sol, serve de pano de fundo para uma revoada de figuras de pássaros, os habitantes do Ar. E, com a tonalidade esverdeada, a árvore dá sequência às Florestas, sendo tomada por galhos e folhagens. Surgem borboletas, araras e micos. Em seguida, aparecem figuras isoladas de pessoas, que aos poucos se reúnem para formar a Humanidade, representada pelas famílias, interagindo com toda a natureza antes apresentada.

A Árvore é acesa de segunda a quinta-feira, do anoitecer até as 2h da manhã. De sexta a domingo, o horário se estende até as 3h da manhã. Seguindo a tradição, a Árvore de Natal da Bradesco Seguros será acesa pela última vez em 6 de janeiro, Dia de Reis. "A Árvore de Natal da Bradesco Seguros é referência internacional de Natal. Apenas em 2012, a Árvore foi notícia em mais de 30 idiomas, nos cinco continentes", declarou Alexandre Nogueira, diretor do Grupo Bradesco Seguros.

Ela tem 85 metros de altura, o que equivale a um edifício de 28 andares. O peso total chega a 542 toneladas. Foram instaladas 3,1 milhões de microlâmpadas, 120 mil metros de mangueiras luminosas e cem refletores de led. Cinco geradores compactos, com a capacidade para iluminar 120 estátuas do Cristo Redentor, alimentam a iluminação da árvore.

Tags: árvore, lagoa, Natal, repercussão, visitantes

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.