Jornal do Brasil

Domingo, 20 de Abril de 2014

Rio

Lapa terá operação especial para conter aumento da violência

Portal Terra

Diante da escalada da violência na Lapa, autoridades do Rio de Janeiro anunciaram nesta terça-feira a criação do programa “Lapa Presente”, que reunirá policiais militares, guardas municipais e agentes de diversas secretarias para tentar melhorar a segurança na região. Apesar da situação crítica no tradicional bairro boêmio, ponto turístico da cidade, a operação só será iniciada em 2014. Os agentes começarão a atuar de forma integrada no dia 1º de janeiro.

A Lapa Presente vai funcionar todos os dias, das 21h30 às 5h30, inspirada na operação Lei Seca, que acontece todos os dias em diversos pontos da cidade. Os agentes atuarão com coletes identificados com o logo do programa, fazendo patrulhamento a pé, de bicicleta e por viaturas. Eles formarão trios, compostos por um PM, um guarda municipal e um agente da Secretaria estadual de Governo.

O coordenador do programa, major Rodrigo Cereser, admitiu o crescimento da criminalidade na Lapa. Nas últimas semanas, foram registrados muitos casos de roubos, furtos e assassinatos. Ele atribuiu o aumento da violência à falta de coordenação entre os órgãos públicos que atuam no bairro.

“Realmente houve uma escalada de violência no local. Fatos graves aconteceram um após o outro. O bairro foi revitalizado pelo apoio dos próprios comerciantes, e isso trouxe muita gente. Isso foi se deixando passar ao longo do tempo, houve falta de comunicação, que resultou nessas ocorrências. Havia uma falta de integração dos órgãos. A Lapa tem policiamento, tem a PM e a Guarda Municipal, mas não existe uma coordenação única”, afirmou.

Cereser não detalhou, no entanto, o efetivo total que passará a ser utilizado na operação. Segundo ele, isso ainda está sendo estudado, e será definido nos próximos dias. O coordenador adiantou que o policiamento será ampliado. Cereser garantiu que a operação não tem prazo para acabar. “O Lapa Presente não é para apagar incêndio. A operação vai permanecer, veio para ficar. Não é resolver e sair. E ela vai conseguir seu objetivo, e creio que até no curto prazo”, observou Cereser, ressaltando que o Lapa Presente é um grande laboratório. “É algo novo, que vamos flexibilizar de acordo com as demandas”, acrescentou. 

Tags: Bairro, boemia, Centro, Rio, violência

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.