Jornal do Brasil

Quarta-feira, 16 de Abril de 2014

Rio

Trabalho abre processo contra auditores suspeitos de cobrar propinas

Agência Brasil

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) informou hoje (13)que será aberto processo administrativo disciplinar sobre os auditores denunciados pela Polícia Federal (PF) na Operação Workaholic, deflagrada nesta sexta-feira no estado do Rio de Janeiro. Segundo o ministério, conforme for o resultado da apuração, eles poderão ser até exonerados. O MTE informou também que está acompanhando as investigações conduzidas pela PF.

A operação desarticulou uma quadrilha formada por quatro auditores fiscais do Trabalho, três contadores, a mulher de um deles e um empresário. O grupo atuava nas cidades de Petrópolis e de Teresópolis, na região serrana fluminense, e em Três Rios, no centro-sul do estado. Eles são suspeitos de cobrar propinas mensais de empresários para não fazer fiscalizações trabalhistas ou não agir com rigor nas vistorias.

De acordo com informações da assessoria de imprensa da Superintendência da Polícia Federal no Rio, os agentes já cumpriram os nove mandados de prisão preventiva e 12 de busca e apreensão expedidos pela 2ª Vara Federal de Petrópolis. Todos poderão responder pelos crimes de formação de quadrilha, concussão (ato de exigir para si ou para outra pessoa, dinheiro ou vantagem em razão da função que ocupa) e corrupção. Se condenados, as penas podem passar de 23 anos de prisão.

 

Tags: Abertura, auditores, corruptos, investigação, Ministério

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.