Jornal do Brasil

Quinta-feira, 24 de Abril de 2014

Rio

Rocinha vive dias de inferno: pacificação está só nos sonhos de Cabral

Jornal do Brasil*Davison Coutinho

Morador é atingido por bala perdida ao sair para trabalhar, nesta manhã de sábado, na parte baixa da Rocinha. A comunidade está vivendo dias consecutivos de intensos tiroteios, durante o dia, e com maior intensidade à noite. Os moradores estão sofrendo com o medo e angústia e temem pela segurança de suas famílias.

A comunidade ganhou uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) em 2011, mas as trocas de tiros nos últimos meses são frequentes. O perigo está por toda a parte, e a todo momento as pessoas correm assustadas.

É realmente lastimável ver senhoras idosas, mulheres com filhos no colo, crianças voltando da escola e trabalhadores retornando de seus trabalhos tendo que correr chorando com o medo de serem atingidos.

Cadê o secretário de Segurança? Aonde estão as respostas para toda essa guerra? Aliás, porque os governantes não voltam aqui para fazer mais uma vez aquela corrida da paz, já que afirmam que está tudo seguro?

Obrigado governador: essa era a paz prometida para as favelas? Chega de farsa e de comerciais mostrando a paz na Rocinha! Estamos vivendo um verdadeiro inferno, uma Rocinha de guerra e medo. 

Pedimos Paz!

 

*Davison Coutinho, 23 anos, morador da Rocinha desde o nascimento. Formando em desenho industrial pela PUC-Rio, membro da comissão de moradores da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu, professor, escritor, designer e liderança comunitária na Comunidade, funcionário da PUC-Rio. 

Tags: Coutinho, davison, morador, rocinha, tiros

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.