Jornal do Brasil

Sexta-feira, 18 de Abril de 2014

Rio

Presidente do TJ-RJ comemora o Dia da Justiça

Jornal do Brasil

Com discurso em defesa de uma justiça mais humanista e com visão de futuro, a presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), desembargadora Leila Mariano, comemorou nesta sexta-feira (6/12), em solenidade realizada no Fórum Central, o Dia da Justiça. A cerimônia foi marcada por emocionantes homenagens da desembargadora às memórias do líder sul-africano Nelson Mandela, do sargento Alexandre Rodrigues de Oliveira, e do menino Kayo da Silva Costa – ambos mortos em ataque ao Fórum de Bangu no fim de outubro.

A presidente do Tribunal de Justiça entregou pessoalmente à viúva do sargento, Elizabeth Silva de Oliveira Rodrigues, o Colar do Mérito Judiciário, como condecoração pós mortem. A desembargadora exaltou a bravura do policial que alertou os colegas de trabalho sobre a invasão ao Fórum de Bangu, o que evitou o resgate de presos. “Não podemos esquecer esse policial”, destacou Leila Mariano, que também pediu aos presentes para que a morte do menino Kayo – atingido por uma bala perdida durante o ataque – sirva de motivação para que todos que lidam com a infância e a juventude façam mais pelas crianças.

Concorrida, a solenidade contou com a presença de dezenas de autoridades. Integrante da mesa, o presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), Jonas Lopes de Carvalho Junior, elogiou o trabalho da desembargadora para aproximar o Judiciário da sociedade. “O Poder Judiciário sempre foi visto, até equivocadamente, como um poder fechado. E hoje o Poder Judiciário está indo ao encontro da sociedade, está se humanizando mais. E isso, temos que reconhecer, a presidente Leila Mariano tem conseguido fazer com o Judiciário fluminense”, disse Jonas Lopes, que considerou a homenagem ao policial morto “muito tocante”. Ex-presidente do Tribunal de Justiça, o desembargador Sergio Cavalieri Filho, procurador-geral do TCE-RJ, também participou da cerimônia.

As comemorações pelo Dia da Justiça foram abertas com culto ecumênico e solenidade de inauguração do retrato do desembargador Manoel Alberto Rêbelo dos Santos, na galeria de ex-presidentes do Tribunal de Justiça. Em seguida, ocorreu a solenidade de entrega do Colar do Mérito Judiciário para autoridades do Judiciário, servidores públicos, entre  outros.  Ao abrir a cerimônia, a desembargadora Leila Mariano lembrou aos presentes que a Justiça “é o valor maior” clamado pelos carentes, pelos oprimidos, pelos que tiveram seus direitos violados.

Ela destacou ainda que hoje é “muito mais difícil ser juiz, advogado, promotor, procurador, do que nos anos 1970” por conta da complexidade dos temas que chegam aos tribunais. “Hoje, o juiz, além do Direito, tem quem ter um conhecimento humanístico bastante grande e também decidir com visão do futuro, buscando ter a noção de sua sentença ou acórdão”, destacou a desembargadora, que também reconheceu como maior problema do Judiciário é dar conta da multiplicação da demanda.

 

Tags: emoção, homenagens, justiça, solenidade, Tribunal

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.