Jornal do Brasil

Sábado, 19 de Abril de 2014

Rio

Campanha contra homicídios de jovens negros pinta 4 mil corpos no Centro

Jornal do Brasil

Na manhã dessa terça-feira (3) o Largo da Carioca, no Centro do Rio, amanheceu com cerca de 4 mil corpos pintados nas calçadas, numa alusão à marcação pericial de cenas de assassinato. O número é uma referência à quantidade aproximada de mortos anualmente no Rio. A ação faz parte da Campanha Juventude Marcada para Viver,  pelo fim dos homicídios da juventude negra, realizada pelos alunos da Escola Popular de Comunicação Crítica (ESPOCC) do Observatório de Favelas. 

>> Artigo: Quando o racismo não se esconde

Cerca de 200 voluntários participaram da intervenção. Eles se reuniram no Largo da Carioca na noite de segunda-feira (2) para deixar a mensagem. No Brasil, mais de 50 mil pessoas são mortas anualmente. O Estado do Rio de Janeiro contribui largamente para essa soma. Em 2012, o estado apresentou um total de 1.418 mortes por homicídios de jovens na faixa de 15 a 29 anos, 76% das vítimas eram negras. Isso quer dizer que um negro tem quase 4 vezes mais chances de ser assassinado no Rio.

Além da ação dos corpos, a campanha está recolhendo assinaturas com o objetivo de cobrar o compromisso político do governo do estado com um protocolo normativo da ação policial, que elenca medidas de caráter emergencial para a redução da violência letal, principalmente, em territórios em que predomina a população negra. 

Tags: corpo, morte, Rio, Trabalho, violência

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.