Jornal do Brasil

Segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

Rio

Royalties: manifestantes chamam Cabral de ditador e acabam agredidos

Jornal do BrasilMaria Luisa de Melo  marialuisa.melo@jb.com.br

O final da passeata 'Veta, Dilma', cujo objetivo principal foi sensibilizar a presidente Dilma Rousseff para vetar o projeto de lei 2.565, que prevê a redistribuição dos royalties e participações especiais da exploração do petróleo, acabou em muita confusão na chegada à Cinelândia. Isso porque um grupo de manifestantes gritava palavras de ordem contra o governador Sérgio Cabral (PMDB) e acabou agredido por seguranças do evento.

Ainda no início da passeata, um grupo de cerca de 30 indígenas que vivem no Museu do Índio atravessaram a Avenida Rio Branco criticando a postura do governador de demolir o Museu para ampliar o Estádio Mário Filho, o Maracanã, para as obras da Copa do Mundo de 2014 e das Olímpiadas de 2016.

Passeata 'Veta, Dilma' acabou em confusão. Manifestantes foram agredidos
Passeata 'Veta, Dilma' acabou em confusão. Manifestantes foram agredidos

Depois, um grupo dizia, aos berros, que o governador Sérgio Cabral era "um ditador". Policiais militares e seguranças do evento agrediram manifestantes. PMs usaram spray de pimenta para conter os manifestantes. 

>> Manifestação em defesa dos royalties do petróleo reúne 200 mil no Rio, diz PM

>> Em manifestação, Cabral aposta em veto parcial de Dilma à divisão dos royalties

>> Royalties: manifestantes desconhecem objetivo de passeata

Indígenas protestam contra a demolição do Museu do índio no Maracanã
Indígenas protestam contra a demolição do Museu do índio no Maracanã

"A convocação do governador é oportunista e ridícula. Agora que ele precisa do povo para pressionar o governo federal ele lembra que a gente existe. No dia a dia, no entanto, ele não ouve a população", criticou Flávio Vilela, da Frente Nacional de Torcedores. "Apesar de a população do Rio não aceitar, ele vai demolir o Parque Aquático Júlio Delamare e o Estádio Célio de Barros". 

Tags: aldeia, dilma, flávio vilela, frente, indígenas, maracanã, museu do índio, nacional, ocupação, torcedores, veta

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.